Temas Para Dds

  • Published on
    29-Nov-2015

  • View
    617

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>Dicas para usar o celular com segurana </p><p>0 Comentrios </p><p>Ol turma, no nosso DDS de hoje vamos apresentar algumas dicas para o uso mais seguro do celular. </p><p>Muitos de ns, talvez a maioria, possui um telefone celular. Alguns possuem at mais de uma linha. Talvez, hoje em dia, seja raro encontrar algum que no possua telefone celular. Embora esse pequeno aparelho seja o grande vcio da era moderna, existem alguns momentos onde devemos reduzir ou evitar seu uso. Para os que trabalham na rea industrial, na fbrica, pode ser que seja necessrio desligar o celular. Vejamos ento as principais dicas: 1. Se estiver dirigindo, no use o celular, pois voc poder se distrair e causar um acidente; </p><p>2. Ao viajar de avio, desligue o celular enquanto estiver dentro da aeronave; 3. No utilize o celular em postos de combustveis e depsitos de GLP; </p><p>4. Se a bateria do seu celular no est mais funcionando, no jogue no lixo, procure um destino adequado na sua empresa ou nas prprias lojas que vendem celular e peas; 5. Em geral, nas reas industriais, proibido o uso do celular. Caso, voc tenha dvidas quanto a isso, entre em contato com seu tcnico de segurana. Perguntar no vergonha. </p><p>6. Em algumas UTIs de hospitais, exigido que o celular seja desligado. Essas so algumas pequenas dicas para que voc use o celular com mais segurana. Agora, conversem com seu tcnico de segurana para que ele explique quais as normas para uso do celular dentro da sua empresa. </p><p>Realizando trabalho em altura </p><p>0 Comentrios </p><p>A realizac o de trabalhos em altura, mesmo aqueles com carter emergencial, deve ser planejada para que possa ser realizada com seguranc a, evitando que improvisac es desastrosas causem algum acidente. </p><p>Quantas vezes voce j no se deparou com algum trabalhador utilizando um tambor, cavaletes, baldes de tinta, tijolos ou qualquer outra coisa que no seja um andaime? Esses trabalhadores </p><p>imaginam que dando um jeitinho tudo correr bem, e no tero o trabalho de utilizar um </p><p>andaime. Muitos chegam a dizer rapidinho, no preciso de um andaime e, infelizmente, </p><p>em situac es como essa que os acidentes mais graves acontecem. </p><p>O maior risco da utilizac o de andaimes est no risco da queda, podendo, em grande parte dos casos, ocasionarem fraturas e/ou ferimentos ou at levar o trabalhador morte. </p></li><li><p>Ento, para que a vida do trabalhador esteja segura, algumas medidas so adotadas em </p><p>relac o a todo o processo que envolve a utilizac o de andaimes. Como por exemplo: </p><p> Fase do planejamento: - Defina a seque ncia da montagem das estruturas do andaime, de forma que no monte de modo incorreto ou faltando alguma pec a; </p><p>- Defina os pontos de ancoragem do cinto se seguranc a (pelo menos dois); </p><p>Para copiar e imprimir esse tema de DDS clique aqui ! </p><p>- Escolha um local slido, limpo e nivelado para montar o andaime. </p><p> Fase de montagem: realizada por trabalhadores devidamente treinados e qualificados para esse servic o. </p><p>- Inspecione os pontos de encaixe, e caso necessrio, substitua pec as danificadas; </p><p>- Nunca monte andaimes perto da rede eltrica; </p><p>- Isole toda a rea ao redor do andaime e sinalize o local para evitar que outros trabalhadores </p><p>ou veculos circulem pela rea; </p><p>- Certifique-se que todo o piso do andaime est completo, ou seja, sem nenhuma abertura </p><p>aparente e com o rodap em toda sua volta. O rodap essencial para evitar queda de ferramentas, objetos ou materiais; - Trave os pranches nos dois apoios do andaime; </p><p>- Caso o andaime tenha mais de 3m, deve conter contraventamento ou estaiamento; </p><p>- Deve ser utilizado um cinto de seguranc a estilo pra-quedista, evitando acidentes do montador; </p><p> Fase de utilizac o do andaime: </p><p>- obrigatria a utilizac o de escadas de acesso em todos os andaimes e proibido escalar o </p><p>andaime para subir no mesmo; </p><p>- Ao subir e descer da escada, segure no corrimo. No transporte nenhum material durante </p><p>esse perodo; </p><p>- Mantenha o andaime livre de qualquer material que no esteja sendo utilizado, evitando tropec es; </p><p>- Nunca pule de um andaime; </p><p>- Caso o andaime contenha rodas, estas devem ser travadas e fixadas durante sua utilizac o, evitando deslocamentos acidentais ou balanc o da estrutura. </p><p> Protec o contra queda de objetos: </p><p>- Mantenha as plataformas do andaime arrumadas e bem organizadas; </p><p>- No deixe ferramentas ou materiais soltos, certifique-se de estarem AM local adequado; </p><p>- No fim de cada turno de trabalho, limpe a plataforma do andaime; </p></li><li><p>- Se algum estiver trabalhando acima de voce , utilize o capacete de seguranc a. Assim, caso algum objeto ou ferramenta caia na sua cabec a, voce estar protegido; - No jogue ferramentas caso algum tenha pedido. Utilize sempre uma corda, um cesto ou uma sacola; </p><p>- Certifique-se que a pessoa que for receber a ferramenta esteja afastada do andaime. Fase de desmontagem: </p><p>- Deve ser realizada sequencialmente de cima para baixo; </p><p>- A nica parte que pode ser desmontada com o trabalhador sobre o andaime o corrimo da </p><p>escada. Mas somente se for necessrio. </p><p>Seguindo corretamente todas as medidas informadas e lembrando-se de utilizar o EPI adequado para a operac o que est sendo realizada, o trabalhador ficar seguro e poder realizar seu trabalho com eficcia. </p><p>Para copiar e imprimir esse tema de DDS clique aqui ! </p><p>Temas para DDS em Categorias Riscos qumicos e biolgicos no ambiente hospitalar, como se manter seguro? </p><p>0 Comentrios </p><p>O ambiente hospitalar um local sujeito a vrios riscos ambientais. Esses riscos so classificados em:cc Fsico; </p><p> Qumico; </p><p> Biolgico; </p><p> Ergonmico; </p><p> Acidentes. </p><p>Ento, quer dizer que em todos os hospitais haver risco qumico? Sim! E por isso mesmo esse risco altamente relevante e merece uma ateno especial. </p><p>Risco qumico est relacionado ao perigo que qualquer trabalhador est exposto ao manipular produtos qumicos que podem prejudicar-lhe a sade. Os danos fsicos relacionados exposio qumica incluem desde irritao na pele e olhos, passando por queimaduras leves at as de maior severidade. </p><p>Os danos sade podem ocorrer com curta e/ou longa durao, relacionados ao contato de produtos qumicos txicos com a pele e olhos, bem como a inalao de seus vapores, resultando em doenas respiratrias crnicas, doenas do sistema nervoso, doenas nos rins e fgado e, at mesmo, alguns tipos de cncer. </p></li><li><p>Mas como realizar a preveno de forma segura diante de um risco to iminente? </p><p>Faa o download desse tema em um formato j preparado para imprimir </p><p>Os produtos qumicos so utilizados em larga escala em hospitais com diversas finalidades: limpeza, desinfeco e esterilizao, solues medicamentosas, produtos de manuteno de equipamentos e instalaes, etc. </p><p>A seguir, sero explicadas prticas de controle de riscos qumicos em locais e tipos de servios hospitalares: </p><p> Esterilizao: Pode utilizar gases ou lquidos, sendo ambos prejudiciais a sade. O trabalhador responsvel deve utilizar luvas especficas, avental e culos de segurana. </p><p> Quimioterapia: Os produtos qumicos empregados no tratamento quimioterpico so utilizados no paciente com finalidades especficas. A implicao inadequada dessas substncias pode trazer srias consequncias aos pacientes e mesmo aos trabalhadores que executam esse tipo de servio. </p><p>Para isso, alguns procedimentos de segurana devem ser seguidos, quando houver manipulao de material destinado quimioterapia. </p><p>- A manipulao s dever ser realizada por trabalhadores qualificados, treinados para tal fim e com conhecimento dos riscos inerentes. </p><p>- Na manipulao devem ser utilizados recursos como ventilao e exausto ambiental, ou seja, capelas de fluxo laminar. Assim o controle do material mais eficiente - A circulao do material pelo hospital deve garantir a proteo de quem transporta e evitar a contaminao do ambiente. Deve haver instrues precisas para esse procedimento. </p><p>- Mulheres gestantes, mes de crianas com malformao congnita ou com histrias de aborto no devem manusear esse tipo de material. </p><p>- A rea de trabalho deve ser limpa com lcool 70% antes e depois das atividades. </p><p>- As ampolas que contm o medicamento devem ser manipuladas com muito cuidado, devido a sua fragilidade. </p><p>- Somente o material necessrio a operao deve ser colocado em cima da mesa ou campo de trabalho empregado. Desta forma organiza-se o trabalho e evitam acidentes. </p><p>- A sada da rea de trabalho deve ser feita somente aps o trmino das operaes. </p><p> Vesturio: </p><p>- Deve ser impermevel. </p><p>- Ao manusear quimioterpicos devem-se utilizar luvas e avental de manga comprida para evitar queimaduras. </p><p>- Utilizar culos de segurana tambm recomendado. </p></li><li><p>- Pode-se fazer o uso de luvas de ltex, porm devem ser trocadas a cada 30min, tempo a partir do qual a proteo diminui. Mesmo assim devem ser trocadas toda vez que houver contato com o medicamento. </p><p>- O uso de mquinas tambm indispensvel para prevenir a inalao ou ingesto de aerossis na fase de manejo. Medidas em caso de contaminao: </p><p>- Em caso de contaminao direta do trabalhador com o medicamento, lavar imediatamente a zona infectada com gua e sabo por um tempo mnimo de 10min. </p><p>- Se o contato for aos olhos, lave imediatamente com gua abundante, durante ao menos 15min, utilizando um lava olhos, que obrigatoriamente deve existir no local de trabalho. A seguir, o trabalhador deve ser encaminhado ao oftalmologista. </p><p>- Em caso de contaminao de luvas ou roupas, troque-as imediatamente. </p><p>- Os trabalhadores devem sempre tomar cuidado com vidros quebrados. </p><p> Farmcia: O manuseio dos produtos pode significar a diferena entre sade e doena. Por isso, algumas medidas de segurana so recomendadas, como: </p><p>- Descartar medicamentos vencidos. Jamais reutiliz-los. </p><p>- Equipamento contra incndio deve ser instalado, e um grupo de trabalhadores deve ser treinado. </p><p> Manuteno: Por utilizar diversos produtos qumicos, como sabes e detergentes, solventes e plastificantes, tintas e vernizes, derivados de petrleo e leos, resinas e plsticos, deve haver uma rigorosa inspeo para verificar a existncia de algo fora do adequado. </p><p>O risco inerente depender da atividade adotada pelo servio de manuteno do hospital. As medias de protees adequadas sero adequadas para casa caso, visando proteo dos trabalhadores principalmente contra o contato direto com a pele e vias respiratrias. </p><p>H ainda outro risco que sempre ser encontrado em hospitais. o chamado Risco Biolgico. Esse risco est diretamente relacionado com organismos vivos, principalmente aqueles capazes de transmitir doenas ao ser humano. So eles bactrias, fungos, bacilos, parasitas, protozorios, entre outros. O risco biolgico inclui infeces agudas ou crnicas, parasitoses, reaes txicas ou alrgicas a plantas e/ou animais e doenas autoimunes. </p><p>As maiores fontes de contaminao so o contato mo-boca, o contato mo-olho, os cortes e feridas superficiais na pele exposta e perfurao cutnea. Para a preveno dos acidentes biolgicos, alguns procedimentos devem ser seguidos: </p><p>- Usar luvas quando as atividades a serem desenvolvidas exigirem contato com fluidos corpreos (soro, plasma, urina ou sangue total). - Usar culos de segurana principalmente quando houver possibilidade de espirros de fluidos. </p><p>- Utilizar aventais. </p><p>- Lavar as mos antes de retirar as luvas e antes de sair da rea contaminada. </p><p>- Evitar contato com as mos e face. </p><p>- No comer, beber ou aplicar cosmticos na rea do laboratrio. </p></li><li><p>- Nunca pipetar nada com a boca. </p><p>- No usar pias de laboratrio para higiene pessoal. </p><p>- Caso haja algum corte ou ferimento, cobrir antes de iniciar qualquer procedimento. - Seguir os protocolos de biossegurana para o laboratrio e para o depsito de materiais contaminados. </p><p>- Ao abrir ampolas, utilize a cabine apropriada. </p><p>- Geladeiras devem ser limpas e degeladas regularmente. Utilize luvas de borracha durante a operao. </p><p>Os trabalhadores devem ter plena conscincia da segurana em seu local de trabalho. Em alguns casos, por nunca terem sido infectados, alguns acabam acreditando que nunca sero. Porm, acidentes acontecem, independente de tempo de trabalho, idade, sexo, etc. importante lembrar que as consequncias podem ser fatais. Ento, previna-se! </p><p>R 18 - Condies e Meio Ambiente de Trabalho na Indstria da Construo </p><p>0 Comentrios </p><p>A Qualificao Profissional o processo mais eficiente para se mudar o quadro crtico existente no Brasil, quanto ao nmero de Acidentes do Trabalho. Um profissional realiza seu trabalho com mais eficincia tcnica, aumentando, com isto, a produtividade e a qualidade do produto e melhor aplicando as normas de segurana. </p><p>Ao se falar em Qualificao Profissional, a principal necessidade brasileira nesta rea, incluem-se todos os nveis dentro de suas respectivas atribuies, inclusive os de direo. </p><p>Ao SESMT, cabe a funo de centralizar o planejamento da segurana, em consonncia com a produo, e descentralizar sua execuo. </p><p>A CIPA cabe a funo, como um rgo interno da empresa, de ser um divulgador das normas de segurana e de realizar algumas funes executivas estabelecidas na legislao em vigor, tais como: elaborar Mapa de Riscos, discutir acidentes ocorridos, convocar reunies extraordinrias, etc. </p><p>s Ordens de Servio sobre Segurana e Medicina do Trabalho, instrumento determinado em lei desde 1978, cabem universalizar as responsabilidades, no s sobre segurana e sade do trabalhador, como tambm sobre os processos de execuo dos servios. </p><p>As aes para Preveno de Acidentes e Doenas do Trabalho devero ter a participao e o envolvimento de todos os setores da estrutura organizacional e de seus colaboradores, sendo as responsabilidades compatveis com os diversos nveis no organograma funcional da empresa. </p><p>A atual NR-18, publicada pela Portaria no 4, de 04/07/95, trouxe vrias modificaes na legislao que estava em vigor, particularmente no que se refere ao planejamento das Medidas Preventivas a serem estabelecidas para a realizao dos trabalhos na Indstria da Construo. </p></li><li><p>Juntamente com esta NR, A NR-7 e a NR-9 tambm determinam Programas referentes Sade Ocupacional e Preveno de Riscos Ambientais que, com ela, se relacionam integralmente. </p><p>Por tais razes, os diversos Programas devem ser tratados em conjunto e devem ser elaborados antes da implantao de um Canteiro de Obras. </p><p>Como todo o Planejamento, durante a execuo dos servios projetados, deve receber modificaes, sempre que houver alteraes nas Condies e Meio Ambiente do Trabalho. </p><p>Segundo 18.3, da NR-18, so obrigatrios a elaborao e o cumprimento do PCMAT, nos estabelecimentos com 20 (vinte) trabalhadores ou mais, contemplando os aspectos constantes na Norma e outros dispositivos complementares de segurana. </p><p>Alm disso, ele deve contemplar as exigncias contidas na NR-9 Programa de Preveno de Riscos Ambientais PPRA. </p><p>O PCMAT deve ser mantido no estabelecimento, disposio do rgo Regional do Ministrio do Trabalho MTb. </p><p>Este Programa deve ser elaborado e executado por profissional legalmente habilitado na rea de Segurana do Trabalho e sua implementao de responsabilidade do empregador ou condomnio. </p><p>O item 18.3.4 da norma relaciona os documentos que integram o Programa e o Anexo A apresenta um exemplo, com a mecnica adotada para a sua elaborao. </p><p>Todo estabelecimento dever estar equipado com material necessrio prestao...</p></li></ul>