Texto Lacunar - Fernando Pessoa

  • Published on
    05-Aug-2015

  • View
    38

  • Download
    10

Transcript

Terrvel beb: Gosto das suas [?], que so [?], e tambm gosto de si, que meiguinha tambm. E bombom, e vespa, e mel, que das abelhas e no das vespas, e tudo est certo, e o beb deve escrever-me sempre, mesmo que eu no escreva, que sempre, e eu estou [?], e sou [?], e ningum gosta de mim, e tambm por que que havia de gostar, e isso mesmo, e torna tudo ao princpio, e parece-me que ainda lhe telefono hoje, e gostava de lhe dar um [?] na boca, com exactido e gulodice e comer-lhe a boca e comer os beijinhos que tivesse l escondidos e encostar-me ao seu ombro e escorregar para a ternura dos pombinhos, e pedir-lhe desculpa, e a desculpa ser a [?], e tornar muitas vezes, e ponto final at recomear, e por que que a [?] gosta de um meliante e de um cevado e de um [?] e de um indivduo com [?] de contador de gs e expresso geral de no estar ali mas na pia da casa ao lado, e exactamente, e enfim, e vou acabar porque estou doido, e estive sempre, e de nascena, que como quem diz desde que nasci, e eu gostava que a Beb fosse uma boneca minha, e eu fazia como uma criana, despia-a e o papel acaba aqui mesmo, e isto parece impossvel ser escrito por um [?] humano, mas escrito por mim. Fernando