Tome consciência destes dois tesouros Intuição e Mediunidade ?· Intuição e Mediunidade A Intuição…

  • Published on
    29-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 82 ZEN ENERGY Outubro 2017

    Intuio e Mediunidade

    Tome conscincia destes dois tesouros

    ser intuitivo ou medinico?

  • Acredito que somos o Esprito! O Esprito que habita em ns e utiliza o corpo fsico a que estamos habituados a

    chamar erroneamente de Eu para podermos experienciar a vida na Terra.

    o Esprito, por exemplo, que mantm o batimento do nosso corao ou que apoia todo o processo de respirao. Partindo deste princpio, necessitamos de interagir com o Esprito que somos. Com esse fim, cada um de ns tem um canal de comunicao. No entanto, nem sempre existe a conscincia deste canal ou ento, conhecendo-o, no lhe damos a devida importncia.

    Como comunicarcom o Esprito?Esta comunicao, numa fase inicial, surge muitas vezes na forma de Intui-o. A Intuio aquela vozinha que no grita, no berra, mas que sus-surra ao nosso ouvido e nos aconselha a prestar ateno a um determi-nado pormenor ou a fazer uma ao que no estava na nossa inteno. Apesar de ser um murmrio, esta voz determinada, incisiva e no se cala. Quando no lhe prestamos ateno, normalmente algo corre menos bem ou mesmo mal.Recordo que, nos tempos em que exercia a minha atividade na rea da Contabilidade, tinha o que na altura chamava de insights durante o duche matinal. Chegava ao escritrio e seguia as instrues recebidas de ver este ou aquele assunto. O certo que naquele dia ou nos dois dias subse-quentes, quando aquele assunto vinha baila, eu estava preparada para ele. medida que tomamos conscincia des-ta voz, deste sussurro, e a escutamos, prestando-lhe ateno, interagindo com ela, a voz vai-se fortalecendo e aos poucos evolui para o que chamamos de Mediu-nidade, permitindo uma comunicao com o Esprito que somos, mais intensa, mais real, mais constante.

    Intuio e MediunidadeA Intuio e a Mediunidade podem mani-festar-se de vrias formas e sempre atravs dos nossos sentidos. por isso que alguns chamam sensitivos s pessoas que tm estes canais mais apurados. Podemos, por exemplo, ser acordados durante a noite sempre mesma hora. Conhecer, pela primeira vez, uma pessoa, sentir empatia ou rejeit-la sem saber exatamente porqu ou o telefone toca e sabe quem vai estar do outro lado. a sua Intuio.H quem sinta necessidade de escrever,

    outros de pintar. Outros escutam vozes, vem ou sentem coisas que os companheiros no vem nem sen-tem. Outros rece-bem aromas nicos como comunicao, enfim Um sem nmero de formas

    de manifestao. E o que fazer quando nos apercebemos que temos Intuio ou Mediunidade? Esconder? Tapar? Aceitar? Para onde ir? Quem poder ajudar? So algumas das questes que se colocam.

    Como proceder?Tapar, esconder, fazer de conta o que talvez tenha feito ou est a fazer e, caro leitor, imagino que no tenha sido sempre bem-sucedido. A voz insiste que faa algo diferente, algo novo, inovador. Possivel-mente, tem receio de o fazer, duvida da sua eficcia ou acha um valente disparate que, ainda por cima, ir coloca-lo merc da crtica e do julgamento de outros.Acredito que, quando nascemos, trazemos connosco todas as ferramentas e talentos que precisaremos de desenvolver durante toda a nossa vida terrena. Eles desenvol-vem-se aos poucos e na altura certa para todos ns. Por vezes, s precisamos de

    uma ajuda, de um empurro, para deles ganharmos conscincia.Sendo a Intuio e a Mediunidade um tesouro sua disposio, far sentido ignorar ou fazer de conta que no existe? Claro que no! O caminho pela aceita-o! A aceitao, a crena e a compreen-so de quem verdadeiramente somos: o Esprito! Abrir o corao e a mente a esta nova forma de olharmos para ns, a esta forma de comunicarmos connosco. ter o caminho da descoberta de quem realmente sou, como um dos objetivos principais. Neste caminho, temos pers-petivas e damos respostas diferentes aos desafios da vida. o caminho de saber que somos sempre apoiados. o caminho da f, da confiana.Ao percorremos este caminho, apercebe-mo-nos das caractersticas, de quais so os talentos que compem este tesouro e de que forma podero ser desenvolvidos ao ritmo desejado. Aprendemos uma nova linguagem, uma lngua para a qual no existe dicionrio. Existem pessoas que nos orientam, de modo a fazermos o nosso prprio glos-srio. pela prtica que nos vamos ali-mentando e construindo esse dicionrio. a aprendizagem pela prtica.Na vida, no podemos esperar resultados diferentes se fizermos sempre o mesmo, se tivermos sempre os mesmos padres de comportamento, as mesmas reaes. Precisamos de introduzir, no mnimo, uma variante. Essa variante pode ser a pers-petiva com que olhamos para a Intuio, para essa voz que sussurra, percebendo-a como o nosso maior tesouro, um tesouro nico e s disponvel para si, caro leitor. Descobrir a Intuio e Mediunidade, desen-volver as potencialidades e caractersticas inatas, um must para todos aqueles que desejam viver a plenitude das oportunidades que a Vida oferece.

    Na vida, no pode-mos esperar resul-tados diferentes se fizermos sempre o

    mesmo

    ,,,,

    Ana Rita

    http://anaritabandeirademelo.ptanaritabandeirademelo.pt@gmail.com

    Z

    Outubro 2017 ZEN ENERGY 83

Recommended

View more >