Universidade Federal de Mato Grosso Pró-Reitoria de Ensino de Graduação

  • View
    102

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Slide 1
  • Universidade Federal de Mato Grosso Pr-Reitoria de Ensino de Graduao
  • Slide 2
  • XXIII Encontro de Pr-Reitores de Graduao das Regies Norte e Centro-Oeste XXIII Encontro de Pr-Reitores de Graduao das Regies Norte e Centro-Oeste Bonito, MS Polticas Educacionais e a Prtica Docente no Ensino Superior
  • Slide 3
  • Quem forma o professor para a docncia no ensino superior?
  • Slide 4
  • Prtica docente no ensino superior No Brasil a formao de professores universitrios passou por vrios estgios, mas somente na dcada de 60 foram dados os passos para o preparo especfico do professor do ensino superior. At essa poca, a maioria dos professores possua apenas graduao Nas Universidades Federais, o professor auxiliar (cargo inicial) era escolhido pelo professor catedrtico, tendo como referencial seu interesse, aproveitamento nas aulas, nvel de confiana (LAMPERT, 1999, p. 99)
  • Slide 5
  • Para ascender na carreira era necessrio diploma de Formao e Aperfeioamento de Professor do Ensino Superior um professor universitrio necessita, mais que todos, ter uma ideia clara do vasto panorama cultural e humano em que se move [] Conhecimentos seguros, profundos e atualizados da matria que leciona e do lugar que ocupa no complexo das cincias []. Conhecimentos pedaggicos que lhe permitam comunicar sua cincia com proveito para o aluno e para si mesmo. [] Uma posio filosfica definida, consciente, capaz de se expressar, defender e influenciar, aberta ao outro para dar e receber. (Paiva, 1967, apud Lampert, 1999, p. 100).
  • Slide 6
  • Prtica docente no ensino superior A partir da dcada de 1970, so indroduzidos nos PPG disciplinas de cunho pedaggico. A formao para o Magistrio Superior, oriunda de todas as reas profissionais, por sua, estava sendo preparada mediante a disciplina Metodologia do Ensino, com um carga horria de 60 horas e contedos de cunho didtico-pedaggico. Segundo Cunha (2001) o modelo do ensino superior no Brasil preocupa-se poca mais com a formao profissional do que com a gerao de novos conhecimentos. (historicamente, o critrio para assumir o cargo de professor na universidade caracteriza-se por exigir uma formao profissional de alto nvel de qualificao e estudos, reservando preparao para a docncia um papel secundrio.
  • Slide 7
  • Prtica docente no ensino superior Na organizao do ensino superior brasileiro, a formao dos profissionais estava centrada no entendimento de um processo de ensino que os conhecimentos e experincias profissionais so transmitidas de um professor para o aluno. At a dcada de 1970 exigia-se do candidato a professor o bacharelado e o exerccio competente de sua profisso. As instituies preenchiam seus quadros docentes baseados no CONVITE A PROFISSIONAIS RESPEITADOS NA REA. (quem sabe muito, automaticamente sabe ensinar)
  • Slide 8
  • As bases da docncia esto no alicerce do paradigma da Cincia Moderna, em que a neutralidade e a quantificao tomam dimensoes preponderantes (professor se torna um conhecedor especializado) A afirmativa ensinar se aprende ensinando reflete essa viso no profissional da docncia (Zabalza, 2004). Ainda segundo Zabalza a preparao para a docncia universitria sempre esteve orientada para o domnio cientfico e ou para o exerccio de atividades profissionais vinculados a ele [] difcil, a princpio, construir uma identidade profissional vinculada docncia (2004, p.107)
  • Slide 9
  • docncia no ensino superior A questo principal que a carreira de docente universitrio precisa acumular capital cultural e cientfico, o que faz que os nveis na carreira sejam trilhados mediante as atividades de ps-graduao, e em que o ensino e a extenso tm um valor menos significativo.
  • Slide 10
  • Os imperativos sociais hoje exigem outras implicaes quanto a preparao docente, porque esta uma TAREFA COMPLEXA e muito exigente do ponto de vista intelectual. O alto nvel na pesquisa NO garante uma prtica docente de qualidade. H no discurso atual que o ritmo de trabalho dos docentes na universidade atualmente leva a que se tenha pouco tempo para pensar sobre os processos que esto sendo realizados na graduao (presencial/EaD)
  • Slide 11
  • Quem so os docentes do ensino superior de hoje?
  • Slide 12
  • Perfil docente no ensino superior
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Slide 19
  • Slide 20
  • Slide 21
  • Atividades na rea tcnica
  • Slide 22
  • Perfil docente no ensino superior
  • Slide 23
  • Como os docentes percebem, desenvolvem e constroem a docncia no mbito da instituio de ensino superior?
  • Slide 24
  • Perfil docente no ensino superior
  • Slide 25
  • Slide 26
  • Slide 27
  • Slide 28
  • Slide 29
  • Slide 30
  • Slide 31
  • Avaliao do Curso Mais gostaram Menos gostaram Poltica institucional Estrutura e funcionamento da instituio Integrao das reas Envolvimento com os gestores Relatos de experincias Videoconferncia Carga Horria Palestras com pedagogos Obrigatoriedade
  • Slide 32
  • Sugestes dos docentes Curso concentrado (espao-tempo) Grupos de trabalhos menores/oficinas Aplicaes prticas No querem pedagogos como palestrantes Envolver coordenadores de curso e demais gestores nas atividades Organizao de material escrito Apresentar as carncias, problemas e metas da instituio e sugerir que os professores proponham solues. Troca de experincias sobre a docncia com outras instituies
  • Slide 33
  • A voz do docente menos O que menos gostou palestras com o intuito de nos ensinar a como exercer a docncia. Se passamos por um concurso em que a didtica foi avaliada, isso pressupe que sabemos como ministrar aulas (Professor de Biologia, 37 anos, o que motivou a escolha da docncia universitria foi a possibilidade de Pesquisa. credenciado em Programa de Ps-graduao)
  • Slide 34
  • A voz do docente O que menos gostei os professores j foram aprovados por uma banca de doutores competente, portanto, j sabem ser professores, no isso que temos que aprender (Professora do curso de Psicologia)
  • Slide 35
  • A voz dos docentes menos O que menos gostou Palestras de pedagogos: infelizmente, considerei inintelegveis (Professor do Curso de nutrio, a escolha da docncia universitria foi pela sobrevivncia)
  • Slide 36
  • A voz dos docentes Acredito que a maioria professor por intuio, erramos sem saber. O objetivo do curso nos mostrar o caminho e falar um pouco da experincia dos professores e sobre os grandes pensadores da educao. Eu sou mdica, preciso aprender a ser professora (a melhor que puder) (Professora do curso de Medicina, 31 anos e a escolha da docncia universitria o sonho da minha vida. Dando aula me sinto feliz)
  • Slide 37
  • Problemas identificados Conflito jovens docentes x docentes veteranos; Vaidade docente (alto grau de exigncia nos concursos, alta produo cientfica); Coordenadores/chefes reclamam das aulas dos doutores inciantes na carreira; Obrigatoriedade como complicador no oferecimento de cursos de formaao pedaggica.
  • Slide 38
  • Os docentes do ensino superior, nas avaliaes institucionais, revelam a necessidade de uma formao pedaggica. Contudo, quando a instituio lhes oferece essa formao eles no querem participar ou no tem tempo. O que se observa na universidade uma indeferena frente ao que produzido sobre o ensino, muitas vezes, hostil a pedagogia, valorizando apenas a dimenso cientfica do docente.
  • Slide 39
  • Como as instituies de ensino superior do Centro-Oeste tem se organizado e enfretado essa questo da profissionalizao docente? Quais os encaminhamentos que podemos propor para no engessar o processo educativo mediado pelas funes do ensino, da pesquisa e da extenso?
  • Slide 40
  • Bibliografia ANASTASIOU, L. das Graas Camargo. Profissionalizaao continuada do docente da educaao superior: desafios e possibilidades. Olhar de Professor, Ponta G:rossa, 8(1): 09/22, 2005. BALDI, E. M. B. A prtica e o desenvolvimento da docncia universitria na universidade Federal do Rio Grande do Norte: perspectivas e dilemas. Natal, RN: EDUFRN, 2008. CASTANHO, S. CASTANHO, Maria Eugenia. (orgs.) Temas e Textos em Metodologia do Ensino Superior. 3 ed. Campinas, So Paulo: Papirus, 2004. CASSIANI, S., CARVALHO, D. C. de, SOUZA, M., COSTA, A. da. Lugares, sujeitos e conhecimentos. A prtica docente universitria. Florianpolis: Ed. da UFSC, 2008. 185 p.
  • Slide 41
  • Bibliografia CUNHA, Maria Isabel da. Ensino como mediaao da formaao da formaao do professor universitrio. In: MOROSINI, M. C. (org.). Professor do ensino superior: identifidade, docncia e formaao. Braslia: Plano, 2001. LAMPERT, Ernani. Universidade, docncia e globalizaao. Porto Alegre: Saulina, 1999. MARCELO GARCA, C. Formaao de professores: para uma mudana educativa. Portugal: Porto editora, 1999. MARCELO GARCA, C. A formao de professores : novas perspectivas baseadas na investigao sobre o pensamento do professor. IN: NOVOA, A. (org.) Os professores e a sua formao. Lisboa, Portugal: Dom Quixote, 1997. PAREDES, E. C., TRINDADE, D. da Silva, LIMA, R. R., VICENTE, S. Ser Pr