Vitrine Lageana Edição 161

  • Published on
    06-Apr-2016

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 19 dE dEzEmbRo de 2014OpinioSadeSegurana Destaque CidadeEducaoEsporte Poltica

    Lages, sexta-feira, 19 de dezembro de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 161

    Polcia adere bicicleta

    Big

    u J

    r.

    Lages se insere em nova modalidade de segurana

    ao criar a Bike Patrulha da Polcia Militar. Esta semana

    o projeto teve incio. Por enquanto, os servios comeam com apenas

    duas bicicletas. | Pg (13)

    Div

    ulga

    o

    Cmara de Lages elege nova Mesa DiretoraVereador Adilson Appolinrio eleito o presidente. | Pg (4)

    Natal: Jesus nasceu mesmo em dezembro?

    Presidente da FIESC esteve visitando Lages

    Dizem que no, e o Natal foi criado a partir de uma festa pag. | Pg (6)

    Glauco Jos Corte teve agenda nas unidades integradas instituio. | Pg (7)

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 19 dE dEzEmbRo de 2014

    Por Jorge Floquet

    Opinio1202

    Diga no aos rojes de final de ano!Por que h necessidade de estourar fogos no final de ano? O que est por trs desse absurdo? Por que a humanidade (pases ricos e pobres) no per-cebe que isso uma afronta a tudo que se faz contra o aqueci-mento global? Por que os ambi-entalistas no percebem que os animais (principalmente os marinhos e aves) se assustam com tamanha agresso?

    Nossa Opinio

    A preocupao com o passar do tempo no deve ser a coisa mais importante de nossas vidas. O tempo passa igualmente para todos. A diferena est na forma em que voc vive e aproveita todos os momentos. Ento, quando voc ouvir algum dizer que o tempo passou rpido, talvez seja porque naquele dia, naquele ms, ou, naquele ano, essa pessoa teve perodos bastante ocupados, e que nem percebeu o passar das horas, dias ou semanas. assim. Por outro lado, o nosso tempo, na verdade passa realmente rpido demais. E, quando nos damos conta, j deixamos de ser criana, em seguida adultos, e chega a vida adulta e quando se v beira-mos os 50, e mais, e mais. Faa um teste e veja o quanto nossa vida anda rpido. Olhe atentamente

    para ponteiro dos segundos e perceba a rapidez que avan-am. D o que pensar. Ou j olhou no cronmetro forno do micro-ondas, retroativamente, quando voc aquece algo? Perceba e note o quanto nosso tempo se esvai. Enfim, pensar nisso, o que menos devemos fazer, mas sim, aproveitar ao mximo, at quando pudermos, em com todas as maravilhas que a vida nos condiciona, se possvel, claro. Por fim, toda essa conver-sao da escrita acima sobre a passagem do tempo para apenas salientar que j estamos perto do fim de 2014. O Jornal Vitrine Lageana teve um ano difcil, mas se sustentou e projeta grandes realizaes para 2015. Os desafios surgem naturalmente. No entanto, h necessidade de que sejam enfrentados. Ento, que assim seja. Que venha o Ano Novo!

    Tempo Implacvel

    Grimpa

    A cidade de Lages tem muitas ruas estreitas e em todas elas os vecu-los estacionam nos dois lados. Acon-tece que, muitos motoristas desatentos, assim que estacionam, abrem a porta do carro como se fosse a geladeira de casa. J houve casos de batidas emi-nentes, em que outros carros levaram junto porta do desavisado. Em outros momentos, o susto de quem se aprox-ima tambm grande, exigindo freadas bruscas ou desvios no puro reflexo. A soluo simples. Basta o motorista olhar no retrovisor antes de abrir a porta deliberadamente. Tem jeito?

    !

    Muitas pessoas se sentem desvalorizadas quando saem do Hospital Tereza Ramos e no tm uma parada de nibus decente para esperar o coletivo. H apenas uma pequena placa identificando o ponto, presa num poste, logo em frente Instituio. Quando chove,

    a salvao um pequeno bar que tem na rua. D para imaginar a situao das pessoas que do alta do Hospital, ou diversos outros usurios que no podem contar com um abrigo decente, justamente em frente de um dos importantes hospitais da cidade. O assunto j chegou aos ouvidos da Secretaria do Meio Ambiente h muito tempo, mas...

    Pontode nibus

    ...

    Nacontramo

    ?Noabra a portaAlguns motoristas, no por falta de aviso ou sinalizao, esto seguida-mente desrespeitando a mo nica da

    Rua Jernimo Coelho, quela que entra na esquina do Sindicato dos Comer-cirios, antiga sede da Cmara dos Vereadores. A mo nica foi feita para que se ampliassem as vagas de esta-cionamento do Hospital e do Colgio Univest, alm de facilitar a circulao. Caso tivesse um agente de trnsito, s observando, encheria um bloco de multas por dia, sem fazer fora, pois, fica difcil o cruzamento de dois car-ros devido ao estreitamento da rua!

    No sei! S sei que algo tem que mudar! So milhares de rojes em vrios lugares do planeta inclusive nos pases ricos que lanam nos noticirios inter-nacionais que estaro minimi-zando os principais causadores do aquecimento global.

    Teremos algumas centenas de vtimas nesse ano no mundo todo e no final do ano ire-mos, mais uma vez soltar rojes e,

    ao mesmo tempo, acender velas pelos desencarnados vtimas da rebeldia da natureza. Voc con-hece alguma vtima da fora da natureza? No se preocupe! Em breve voc conhecer mais de uma vtima. E, espero que voc no v festejar e nem participar, no fim de ano com rojes e sim conclamar a humanidade (amigo de trabalho, colega de faculdade e escolas,

    ambientalistas, reprteres, filhos, esposas, padres e pastores, cien-tistas, polticos, seu mdico, a secretria do l, etc) para acabar com esse absurdo que alm de poluir mais o meio ambiente tanto sonoricamente como qui-micamente (gs carbnico e par-ticulados) faz com que os recur-sos pblicos sejam queimados (procure saber sobre a verba do seu municpio destinada a esse

    malefcio que a propsito, no pouca). DIGA NO QUEIMA DE FOGOS DE ARTIFCIO NO FINAL DE ANO! Levante essa bandeira, se achar que justa e pacfica! O que importante que pensemos que algo tem que ser mudado e, mesmo que haja espetculo, isso tem que mudar, urgentemente!

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 19 dE dEzEmbRo de 201403DESTAQUE

    Audincia abriu discusso para duplicao da BR-116P

    aulo

    Cha

    gas

    Sandro S

    cheuermann

    Antes era uma luta. Agora uma causa. Assim definiu o prefeito de Correia Pinto Vnio Forster a audincia pblica pela duplicao da BR-116 realizada nesta segunda-feira, no auditrio da Associao Empresarial de Lages (Acil). Ele defendeu tambm, uma ao poltica forte para dupli-cao da BR-282 e que toda Serra Catarinense tenha opor-tunidade de desenvolvimento.

    A audincia mobilizou alm da Amures, a presidente da Associao de Municpios da Regio do Contestado (Amurc), Sisi Blind e da Associao de Municpios do Planalto Norte (Amplanorte), Aldomir Ros-kamp que participaram de reunio prvia com os deputa-dos federais Esperidio Amin e Carmen Zanotto que repre-sentaram no evento, o Frum Assinado decreto sobre pontos facultativos e frias coletivas

    Audincia Pblica debateu a necessidade de duplicar a BR 116

    Prefeitura ter ponto facultativo nos feriados de Natal e fim de ano

    O prefeito interino Toni Duarte definiu os dias de ponto faculta-tivo dos funcionrios municipais neste perodo que antecede o fim de 2014. Nos dias 23, 24, 30 e 31 de dezembro ficar estabelec- ido ponto facultativo devido s comemoraes de Natal e Ano-Novo em todas as seces dos

    Parlamentar Catarinense.A Superintendente de Explo-

    rao de Infraestrutura Rodo- viria da Agncia Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Viviane Esse e o diretor-presi-dente do grupo Arteris, David Daz, donos da concessionria

    Autopista Planalto Sul Grupo, alm do diretor-superinten-dente da Autopista Planalto Sul, Antnio Cesar Ribas Sass responderam a indagaes dos participantes da audincia.

    Esta ao de consulta popu-lar um primeiro passo para a

    efetiva duplicao da rodovia. Sero realizadas outras audin-cias com o mesmo objetivo. O prximo passo com vistas duplicao ser a definio de trs traados alternativos para cotao de custos. Em quatro meses a Arteris deve apresen-

    tar as alternativas de traados com autorizao da ANTT e das associaes de municpios.

    S depois iniciar a dis-cusso de custeio das obras de duplicao. Uma proposta pode ser custo compartilhado entre setor pblico e privado. Outra custo exclusivamente com recursos pblicos. A pos-svel duplicao da BR-116 levar em conta trs fatores. O primeiro segurana, pois a rodovia duplicada pratica-mente zera os ndices de aci-dentes como coliso frontal e coliso transversal. Outro fator o desenvolvimento regional, pois as indstrias so atra-das naturalmente pelo fator logstica e por ltimo, o quesito custo de transporte menor, uma vez que a rodovia dupli-cada reduz sensivelmente os custos do transporte.

    rgos da administrao direta e indireta do Municpio, exclu-indo-se as seces que desem-penham funes e prestam ser-vios considerados essenciais ao interesse pblico.

    A Procuradoria-Geral do Mu-nicpio e o Setor de Licitaes e Contratos esto excludos do ponto facultativo nos dias 23 e 30. As decises foram toma-das a partir das necessidades da populao. Assim que pas-sarem as festividades de fim de ano, logo no incio de janeiro os servios sero retomados, em carter especial. Nenhum servio essencial deixar de ser prestado sem que haja quali-dade, reitera o prefeito.

    J o perodo de frias coleti-vas dos servidores dos rgos da

    administrao direta e indireta do Municpio ser entre os dias 26 de dezembro de 2014 e 24 de janeiro de 2015. Nesse perodo, os rgos do Municpio funcio-naro com reduo de pessoal, com horrio de expediente cumprido das 13h s 18h, sem interrupes. A Procuradoria-Geral do Municpio e o Setor de Licitaes tero expediente em horrio normal no dia 26 de dezembro e a partir de 5 de janeiro de 2015, portanto, das 8h s 12h e das 14h s 18h. Cabe aos titulares dos rgos, nas respectivas reas de competn-cia, a integral preservao e fun-cionamento dos servios con-siderados essenciais, define-se no