Vitrine lojista dezembro 2013

  • Published on
    28-Mar-2016

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

<ul><li><p>PUBLICAO DA FEDERAO DAS CMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS DO RIO GRANDE DO SUL | DEZEMBRO 2013</p><p>Agronegcio eleva vendas </p><p>COMRCIO </p><p>2013Reunio planeja crescimento de </p><p>programa</p><p>Qcomrcio Iseno termina em mau momento para </p><p> economia </p><p>IPI FCDL-RS </p><p>premia personalidades</p><p> do ano</p><p>Mrito Lojista </p></li><li><p>Estamos felizes com as projees de 5% no aumento de vendas para o Natal e no crescimento de volume de vendas em 6,3% em 2013. Trata-se de uma vitria, pois enfrentamos signifi-cativas dificuldades este ano, como a alta de juros e a perda de competi-tividade em razo da alta carga tribu-tria, que inibiram o consumo. O ndice est abaixo do padro mdio de expanso dos ltimos sete anos, de 8,5%. Mas ainda assim, temos motivos para comemorar. A manuteno de baixas taxas de desemprego no es-tado, a elevao da massa salarial gacha em patamares prximos a 6% em termos reais, so alguns dos pontos positivos de 2013. Alm disso, a excelente safra 2012/2013 foi uma das grandes responsveis pelo crescimento do varejo neste ano. </p><p>Por outro lado, temos que nos prevenir contra alguns problemas, como o fim do incentivo do Imposto sobre Produtos Industria-lizados (IPI), que comprometeram o varejo em relao a 2012. </p><p>O varejo est se expandindo francamente no Rio Grande do Sul e a gesto da Qualidade um fator indispensvel para continuar-mos neste caminho. Precisamos continuar otimistas e nos quali-ficando sempre. Por isso disponibilizamos o QComrcio, pois acreditamos que este um meio de beneficiar o empreendedor atravs da gesto estratgica, acreditando no aumento destes ndices ano aps ano.</p><p>Temos bons nmeros que comprovam nosso crescimento e nos do motivos de sobra para nos orgulharmos. Por exemplo, ultra-passamos o nmero de 100 mil estabelecimentos no Rio Grande do Sul, somamos mais 20 mil novos postos gerados de trabalho, em comparao com o ano passado e tambm ultrapassamos a marca de 1 bilho de reais em movimentao da massa salarial no varejo gacho em 2013. Em 2012, este nmero chegou a 920 milhes. </p><p>Em 2014, ainda vemos com bons olhos a perspectiva de boa safra agrcola, a uma situao cambial favorvel para exportao. A desvalorizao do Real, que aumenta a competitividade de ex-portao estadual, tambm pode representar uma oportuni-dade especial para a indstria caladista e moveleira. E ainda acreditamos que Porto Alegre, sendo uma das sedes da Copa do Mundo e palco de selees importantes, certamente receber um fluxo indito de turistas. A estimativa de um PIB estadual com alta entre 5,5% e 7% e de crescimento de vendas no varejo entre 7% e 8,5%. </p><p>Vitor Augusto Koch, presidente da FCDL-RS</p><p>FEDERAO DAS CMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS DO RIO GRANDE DO SUL</p><p>Rua Dr. Flores, 240 Cj 21 CEP 90020-120 | Porto Alegre-RS(51) 3213-1777www.fcdl-rs.com.brfcdl@fcdl-rs.com.br</p><p>PresidenteVitor Augusto Koch</p><p>1 Vice-Presidente Fernando Luis Palaoro</p><p>Vice-PresidenteFlvio Santo Dallasen</p><p>Vice-PresidenteMilton Araujo</p><p>1 Diretor SecretrioJorge Claudimir Prestes Lopes</p><p>2 Diretor SecretrioRemi Carasai</p><p>1 Diretor FinanceiroOlavo Aloisio Steffen</p><p>2 Diretor FinanceiroZenir Gross Kellermann</p><p>Presidente CDL Jovem RSMarcos Rogrio Carbone</p><p>DIRETORIA EXECUTIVA</p><p>EdioPlayPress Assessoria de Imprensa</p><p>Jornalista Responsvel Marcelo MatusiakMTB: 10063</p><p>ImpressoIdeograf</p><p>Tiragem1,3 mil exemplares</p><p>EXPEDIENTE</p><p>PresidenteDaltro Viega da Rocha</p><p>Titular Andr Passini</p><p>TitularVandenir Antonio Miotti</p><p>SuplenteWalter Roberto Nickhorn</p><p>SuplenteRenato Spultaro Corso</p><p>CONSELHO FISCAL</p><p>PresidenteAirton Vitalico Giordani</p><p>Titular Milton Gossler</p><p>TitularOsmar Anildo Kerschner</p><p>SuplenteGlodomar Guitel</p><p>CONSELHO DE TICA</p><p>3</p><p>ndice Editorial</p><p>FECHAMENTO 2013 6FCDL-RS divulga dados de 2013 e faz previses para 2014</p><p>CAPA</p><p>PERFILCDL Campo Bom: h 43 anos de parcerias e desenvolvimento</p><p>4</p><p>MRITO LOJISTAFCDL-RS premia destaques de 2013</p><p>10</p><p>CAXIAS DO SULMaior CDL do interior do RS empossa nova diretoria</p><p>14</p><p>PREOS 13Pesquisa de valores ajuda na hora de economia nas compras</p></li><li><p>Perfil</p><p>O ponto mais importante do movimento lojista o associativismo, pois o comprometimento de um grupo focado em buscar melhorias para todo o setor. A CDL uma entidade que est voltada aos associados, e hoje no somente focada no SPC, mas tambm nas parcerias. Algumas das mais im-portantes em Campo Bom sos os planos de sade e telefonia. Outro convnio importante o que fir-mamos com a FACCAT, Faculdades Integradas de Taquara, que voltado para qualificao, no s dos lojistas associados CDL, mas tambm dos funcionrios dos comrcios. Isso mostra a fora da entidade em Campo Bom, pois as parcerias firma-das e as aes realizadas atravs do associativismo esto beneficiando muitas pessoas Presidente da CDL Campo Bom, Omar Hoffmeister</p><p>Movimento Lojista</p><p>Diretoria 2012-2014Presidente Omar Henrique HoffmeisterVice Presidente Assis Laerte da SilvaDiretor de SPC Rodrigo HoffmeisterDiretora Tesoureira Maria do Carmo Ziglia VasquesDiretor Secretrio Alexandre de VargasDiretora de Relaes Pblicas Qusia Martins GracezDiretora Social Noeli Adams de CastroDiretor de Patrimnio Djalmo Incio da SilvaDiretor Relaes com Entidades Cristiano Mozael SkringsDiretor sem pasta Daltro Viega da Rocha</p><p>No dia 02 de julho de 1970, 14 lojistas dos segmentos de confeco, calados, material de construo, alimentos, mveis e papelaria fundaram o Clube de Dirigentes Lojistas de Campo Bom, que mais tarde tornou-se a Cmara de Diri-gentes Lojistas.</p><p>Representando cerca de 600 empreendedores, a CDL Campo Bom mostra-se ativa firmando parcerias e apoiando os mais diversos eventos. Nesses 43 anos, a CDL tem se apri-morado para oferecer mais e melhores servios aos associa-dos. Com os olhos focados no futuro, a entidade a voz da classe lojista que um dos maiores geradores de empregos do municpio, tendo grande representatividade nas questes econmicas e sociais de Campo Bom. </p><p>Histria da CDL</p><p>QComrcio</p><p>Comercial Agrcola Man</p><p>Municpio: Arroio do MeioSegmento de atuao: Agronegcio Endereo: Rodovia RS-130, KM 76, N 1420 </p><p>- Barra do ForquetaPresente no QComrcio: 2012</p><p>Por que adeririam ao QComrcio?Para melhorias na empresa, principalmente, em questes de gesto e RH.</p><p>Por que dar nfase qualidade na empresa?Para melhorar a qualidade de vida de todos que traba-lham na empresa e aumentar as vendas e os resultado.</p><p>O que tem mudado depois da adeso ao QComrcio?A organizao da empresa, o comprometimento da equi-pe e o atingimento de metas.</p><p>Como utilizam o Scopi?Mais para controle financeiro e eventos anuais. Tambm na questo de preparao, agendando a funo dos co-laboradores e organizao de projetos futuros.</p><p>Eletro Mveis BassoPor que adeririam ao QComrcio?Para melhorar a gesto da empresa. A empresa pequena e temos o objetivo de crescer. A consul-toria ajudou no planejamento e processos internos. </p><p>Por que dar nfase a qualidade na empresa?A questo da personalizao da consultoria, pois trabalhando com qualidade o cliente recebe um atendimento de qualidade e faz uma compra de qualidade.</p><p>Como utiliza o Scopi? utilizado para gerenciamento de metas. Temos como visualizar faturamento, inadimplncia e cus-tos. Registramos processos como campanha de agasalho, planejamento de projetos futuros e for-necimento de dados. Podemos alterar periodica-mente questes de fora e fraqueza.</p><p>Municpio: ArvorezinhaSegmento: Mveis e eletrodomsticos Endereo: Rua Osvaldo Aranha, 672, Sala 05Presente no QComrcio: 2011</p><p>Foto</p><p>s: Ja</p><p>ime </p><p>Noe</p><p>l Tei</p><p>xeira</p><p>CDL Campo Bom</p><p>Economia do municpioO Municpio de Campo Bom situa-se </p><p>no Vale do Rio dos Sinos, distante cerca de 50Km de Porto Alegre, com fcil acesso via ERS 239, no trajeto que liga a Regio Metro-politana a Serra Gacha.</p><p>Pioneira na exportao de calado, esta a principal fonte econmica da regio. O Municpio tambm se destaca como maior produtor de mudas de hor-talias do Rio Grande do Sul. Campo Bom pertence ao ranking das melhores cidades do RS no ndice de Desenvolvimento Socio-econmico do Rio Grande do Sul (Idese).</p></li><li><p>O varejo gacho comemora o crescimento no volume de vendas de 6,3% em 2013. A FCDL-RS, no dia 12 de dezembro, apresentou estudo com o balano do ano de 2013, perspectivas econmicas de 2014 e estimati-vas de vendas em relao ao Natal de 2012. As vendas relacionadas comemorao do dia 25 de dezembro devem representar um crescimento de 5%, na com-parao ao mesmo perodo do ano passado. </p><p>- A alta, em mbito anual, de 6,3%, representa uma vitria significativa diante das dificuldades que en-frentamos em 2013. A alta dos juros e a perda de competitividade em razo da elevada carga tributria inibiram o consumo. O ndice est abaixo do padro mdio de expanso dos ltimos sete anos, de 8,5%. Mas ainda assim, temos motivos para comemorar - avalia o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.</p><p>Os principais fatores apontados que favoreceram a expanso das vendas em 2013 foram a manuteno de baixas taxas de desemprego no Rio Grande do Sul e a elevao da massa salarial gacha em patamares prximos a 6%, em termos reais, isto , descontada a inflao. Outro ponto positivo destacado pela en-tidade varejista foi a boa safra 2012/2013, alm das previses otimistas com relao a colheita 2013/2014. </p><p>O fim do incentivo do Imposto sobre Produtos Indus-trializados (IPI), em relao a 2012, dos produtos de linha branca, eletrodomsticos, mveis, automveis e material de construo foi um dos fatores que ini-biram um crescimento ainda maior do varejo gacho em 2013. </p><p>A adoo do carto de crdito como meio principal de pagamento em 2013 tambm chama a ateno. Aproximadamente 36% das compras foram realizadas desta forma, apresentando uma alta de 4%. Sendo que a preferncia pelo dbito ou dinheiro diminuiu para 29% em 2013 quando comparado ao ano pas-sado, que apresentou o ndice de 35%. O cheque, por sua vez, est caindo em desuso. Em dois anos, esta opo diminuiu em 50%. Em 2013, apenas 7% dos </p><p>gachos adquiriram produtos por este meio. </p><p>A entidade varejista tambm apresentou seus ndices de recuperao de crdito, atravs do Sistema de Pro-teo ao Crdito (SPC): 34,56% dos consumidores ina-dimplentes quitam suas dvidas em at 13 dias aps o recebimento da carta de notificao. Outro nmero comemorado pela FCDL-RS adeso ao Programa QComrcio, que qualifica atualmente 532 empresas no estado. </p><p>- O varejo est se expandindo francamente no Rio Grande do Sul e a gesto da Qualidade um fator indispensvel para continuarmos neste caminho. Precisamos continuar otimistas e nos qualificando sempre. Por isso disponibilizamos o QComrcio, pois acreditamos que este um meio de beneficiar o em-preendedor atravs da gesto estratgica, acreditan-do no aumento destes ndices ano aps ano - avalia o presidente da FCDL-RS. </p><p>Ao analisar a economia brasileira em 2014, a FCDL-RS estima sinais positivos atravs de fatores como as eleies majoritrias, que geralmente influenciam no crescimento da economia. Tambm espera que as ta-xas de desemprego continuem estveis em patama-res reduzidos, o que deve aumentar a renda do con-sumidor. A expectativa que o Produto Interno Bruto (PIB) cresa entre 4,5% e 6% e o consumo entre 6% e 7,5%.</p><p>Em territrio gacho, a entidade varejista v com bons olhos a perspectiva de boa safra agrcola, a uma situao cambial favorvel para exportao. A desva-lorizao do Real, que aumenta a competitividade de exportao estadual, pode representar uma oportu-nidade especial para a indstria caladista e movelei-ra. E ainda considera que Porto Alegre, sendo uma das sedes da Copa do Mundo e sendo palco de selees importantes, certamente receber um fluxo indito de turistas. A estimativa de um PIB estadual com alta entre 5,5% e 7% e de crescimento de vendas no varejo entre 7% e 8,5%. </p><p>Agricultura impulsiona </p><p>varejo do RS</p></li><li><p>Interno</p><p>FCDL-RS promove Reviso do Planejamento Estratgico</p><p>A FCDL-RS realizou, no dia 04 de dezembro, um encontro com diretores da entidade e diretores distritais. A reunio, promovida no auditrio da Federao, discutiu o planejamento estratgico da FCDL-RS e ouviu as opinies dos presentes.</p><p>- Um planejamento estratgico no eficaz quando fica restrito a um pequeno grupo, ento a FCDL-RS oportuniza momentos para ouvir o que todos pensam sobre o assunto - ressalta o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.</p><p>Os diretores e representantes analisaram as me-tas previstas e o que foi atingido ao longo do ano.</p><p>Jlia Merker</p><p>Entidade realiza Assembleia Estadual de RepresentantesAlm da reviso do planejamento estratgico, a FCDL-RS recebeu em seu auditrio o Conselho Estadual de Representantes da FCDL-RS para a Assembleia Estadual de Representantes. O en-contro apresentou a prestao de contas e pre-viso oramentria da entidade, e os presentes votaram pela aprovao das medidas. Alm da votao, a Assembleia possibilitou que os repre-sentantes discutissem assuntos relevantes para o setor e projetassem o ano de 2014.</p><p>Jlia</p><p> Mer</p><p>ker</p><p>Estimativas Natal de 2013em comparao com 2012</p><p> Combustveis Alta de 4,23% - Mesmo com o aumento do preo dos combustveis, a consolidao de uma frota maior de veculos d consistncia a tal elevao de consumo.</p><p> Hiper e Supermercados Alta de 4,5% - O ramo patinou no decorrer do ano em funo da inflao dos gneros aliment-cios, mas vem se revigorando nos ltimos me-ses, especialmente por conta da estabilizao da produo dos hortifrutigranjeiros.</p><p> Mveis e EletrodomsticosAlta de 4,7% - O consumo das novidades apre-sentadas pelo setor no perodo natalino acaba sendo parcialmente prejudicado pela alta gra-dual do IPI incidente sobre os produtos do setor, determinada pelo Ministrio da Fazenda no decorrer de 2013. Se no fosse por esse fator, o crescimento seria de pelo menos 7%.</p><p> Artigos farmacuticos, perfumaria e cosm-ticos Alta de 2,6% - Com os produtos importados mais caros e perspectivas de um vero mais chu-voso, as vendas desse gnero devero crescer modestamente.</p><p> Informtica e ComunicaoAlta de 10% - O ramo continua sendo a ncora do crescimento do varejo no perodo de final de ano. Tablets, notebooks, smartphones e vdeo games mantero sua trajetria de alta das vendas. Mas as taxas de crescimento esto mais modestas, pois no ano passado a expanso das vendas do setor foi de 24,7%. </p><p> Veculos e Motocicletas Alta de 5,3% - Continuam sendo o grande sonho de consumo dos brasileiros. No perodo natalino de 2012, o aumento das vendas foi de 11,8%. O crescimento menos intenso desse ano resul-tado do fim do IPI reduzido.</p><p> Material de Construo Alta de 5,3% - Resultado poderia ser melhor caso no tivesse ocorrido a alta de IPI nos produtos comercializados pelo setor.</p><p> Tecidos, Vesturio e CaladosAlta de 3,4% - Setor deve manter o mesmo crescimento de 2012. Aumento intenso de Natal est mais focado em novidades tecnolgicas.</p><p> Livros, Jornais, Revistas e Papelaria Queda de 4,3% - Comrcio de livros pela inter-net; popularizao da leitura eletrnica e cam-panhas pela reduo do uso de papel so fatores que vem determinando a reduo estrutural das vendas do setor.</p></li><li><p>Mrito Lojista</p><p>Mrito Lojista premia destaques no ano de 2013Considerado o Oscar do Varejo Gacho, o Prmio Mrito Lojista homenageou empresas e personali-dades que se destacaram ao longo de 2013. A inici-ativa uma promoo da FCDL-RS e leva em conta fatores como excelncia em atendimento, poltica de preos, gesto logstica, ndice de comercial...</p></li></ul>