waldemar cordeiro

  • Published on
    07-Aug-2015

  • View
    38

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

waldemar cordeiro

Transcript

Waldemar Cordeiro

Artenica

Comisso OrganizadoraNelson Mascarenhas Luiz Velho Lilia Hess

Edio e Diagramao do CatlogoLuiz Velho

Montagem da ExposioClylton Galamba Fernandes

Agradecimentos ApoioMAC, INPE, IMPA, UFPE, IBM 2 Analvia Cordeiro, Gabriela Suzana Wilder, Celso Luiz de Faria, Jonas de Miranda Gomes, Luiz Vasconcelos

Homenagem a WaldemarCordeiroEste ano a Sibgrapi faz uma homenagem a Waldemar Cordeiro, pioneiro da arte por computador no Brasil, que faleceu em julho de 1973. Cordeiro foi uma presena marcante no panorama artstico internacional, tendo representado o pas nas primeiras exposies de arte por computador, entre elas a famosa Cybernetic Serendipity realizada em 1968 em Londres. Com este evento pretendemos estimular a discusso sobre a visualidade na computao grfica. Esperamos que o trabalho de Waldemar Cordeiro contribua para reavivar a memria dos seus contemporneos e inspirar as novas geraes. A Comisso 3

Depoimento

Texto elaborado especialmente para o evento do Sibgrapi em homenagem a Waldemar Cordeiro por Giorgio Moscati, um dos seu principais colaboradores na pesquisa de arte por computador. Agosto / 1993 4

Waldemar Cordeiro e o Uso do Computador nas ArtesSobre uma Experincia Pioneira

1 INTRODUOEm 1968 fui apresentado ao j renomado Artista Plstico Waldemar Cordeiro por Mario Schenberg, conhecido Cientista, Poltico e Crtico de Arte . Razo da apresentao - Cordeiro desejava investigar as possibilidades do uso do Computador nas Artes; eu tinha uma boa experincia em computao e interesses multidisciplinares. Desta apresentao nasceu uma frutfera colaborao que resultou na produo de dois trabalhos pioneiros, que tiveram ampla repercusso nacional e internacional, e so hoje considerados os primeiros trabalhos de arte por computador realizados no Brasil e, de uma certa forma, precursores do que hoje constitui o amplo campo da Computaco Grfica e processamento de imagens. O passado de Cordeiro, um dos expoentes do Movimento Concretista e uma pessoa de grande cultura e liderana, parecia ideal para inovar na explorao desta nova tecnologia no campo das Artes. Dos nossos primeiros contactos ficou logo claro que o interesse de Cordeiro era extremamente srio e o intuito no era iniciar imediatamente o uso da nova tcnica como um modismo, mas sim compreende-la em profundidade e explorar suas verdadeiras possibilidades. Esta abordagem correspondia bem aos meus interesses, sempre vido em aprender e em aplicar meus conhecimentos em outras reas. Nossa colaborao durou cerca de dois anos, sendo interrompida devido a uma viagem que realizei para fazer pesquisas em Fsica na Inglaterra, de abril de 70 a maro de

Giorgio Moscati Instituto de Fsica Universidade de So Paulo

5

71. Aps meu retorno retomamos contacto e estvamos reiniciando atividades conjuntas quando a prematura morte de Cordeiro, aos 48 anos de idade, em junho de 1973, encerrou trgicamente nossa parceria. Neste trabalho pretendo relatar como foi esta colaborao que do meu ponto de vista foi muito rica e gratificante. Abordarei os antecedentes dos atores (Cordeiro, Moscati, Computador), a fase de discusso e planejamento, a realizao dos trabalhos e sua repercusso. Finalmente, luz de resultados recentes, procurarei reanalizar Derivadas de uma Imgem, sob o aspecto da percepo visual.

2 ANTECEDENTES dos ATORES 2.1 WALDEMAR CORDEIROQuando fomos apresentados, em meados de 1968, Waldemar Cordeiro trazia uma enorme bagagem no campo das artes plasticas, sendo muito conhecido no meio artstico, no Pas e no Exterior, atravs de sua extensa, inovadora e controvertida obra, tanto nas artes plasticas propriamente ditas, como em escritos tericos, manifestos e atitudes s vezes irreverentes. No me sinto competente em comentar os antecedentes de Cordeiro, que esto amplamente descritos no ensaio de Ana Maria M. Belluzzo no livro WALDEMAR CORDEIRO uma Aventura da Razo, publicado pelo Museo de Arte Contempornea da USP (MAC/USP), por ocasio da exposio retrospectiva de sua obra, realizada em agosto de 1986, no referido Museu, em sua homenagem.

Assim, fui um dos primeiros usurios desta nova tecnologia, na fase de sua de implantao na USP. Para os jovens de hoje, que convivem com o computador a partir do 2 grau ou dos primeiros anos de faculdade (se no antes), deve parecer estranha minha iniciao. Ao saber que a USP iria comprar um computador me apressei em procurar aprender a linguagem Fortran, o que foi conseguido em algumas aulas tericas onde o computador s aparecia em fotografias! Como o computador no chegava, tentei desenvolver o programa que deveria resolver meus problemas. Quando o computador finalmente chegou descobri que meu primeiro programa no cabia em sua memria! Aps alguns cortes resolvi a contento meus problemas, obtive o ttulo de doutor e, em fins de 1962, viajei para o exterior para realizar um ps doutorado na Universidade de Illinois nos EUA. A Universidade de Illinois era (e ) um importante centro inovador em computao. Com minha iniciao na USP consegu rapidamente passar a utilizar as facilidades disponveis, que eram as mais modernas da poca, nas pesquisas que realizei no campo da Fsica Experimental. Em 1966 voltei USP com uma boa experincia em aplicaes cientficas dos computadores. Pouco tempo depois de meu retorno, o Depto. de Fsica Nuclear da FFCL-USP instalava um computador IBM /360 para ser acoplado ao novo acelerador Pelletron. Este novo computador, moderno para a poca, era muito mais possante do que o 1620. Foi nessa poca que conheci Waldemar Cordeiro.

2.2 GIORGIO MOSCATITendo me formado em Fsica e Engenharia, iniciei minhas atividades docentes e de pesquisa na antiga Faculdade de Filosofia Cincias e Letras (FFCL) da USP em 1958. Com o objetivo de seguir carreira acadmica iniciei logo meus estudos para obter o ttulo de doutor sob a orientao de Jos Goldemberg. Meu trabalho exigia extensos clculos, o que, por uma feliz coincidncia, foi muito facilitado pela implantao na USP de seu primeiro computador, um IBM modelo 1620, em meados de 1962.

2.3 O COMPUTADOR 2.3.1 ANTECESSORESOs Computadores Eletrnicos Digitais (CED) hoje existentes tiveram sua concepo estabelecida e realizada em 1940. A primeira mquina construida ficou operacional em sua parte eletrnica em 1943 (a leitora de cartes no chegou a ser operacionalizada), por obra de John V. Atanasoff, na Universidade de Iowa. Assim estamos comemorando os 50 anos do primeiro Computador Eletrnico Digital que possuia os elementos essenciais de

6

um Computador Moderno. Anteriormente a esta iniciativa, varios instrumentos foram desenvolvidos para auxiliar na realizao de calculos, desde os bacos que existem a mais de 3000 anos, passando pelas maquinas de Pascal, Leibnitz e Babbage, todos com operao digital. No campo analgico citamos a rgua de clculo e varios dispositivos mecnicos, eletromecnicos e eletrnicos desenvolvidos e utilizados at o presente. Algumas mquinas mecnicas foram construidas para usos especiais, por ex., nos primeiros anos deste sculo foi constrida uma mquina capaz de jogar, com sucesso, as pates finais de de uma partida de xadrez - Rei e Torre contra Rei (1911 - Leonardo Torres e Quevedo). Anteriormente a 1945 podemos dizer que apenas as mquinas de calcular mecnicas, as rguas de clculo e algumas mquinas para contabilidade usando cartes Perfurados (Hollerith), se tornaram operacionais e de amplo uso nos clculos. Outros dispositivos analgicos de varios tipos tambm foram usados para controle de mquinas nesse perodo. A grande demanda de capacidade de clculos analticos durante a 2a. Guerra Mundial (por ex. para a construo da Bomba Atmica) criou grandes presses para o desenvolvimento de CED, entretanto no chegaram a ser usados durante a referida Guerra, com exesso, talvez, do Colossus, usado na Inglaterra para quebrar Criptogramas (segredos militares no permitem caracterizar com clareza o Colossus). surpreendente notar que a construo da mquina de Atnasoff foi interrompida pois o estudante de ps graduao, Clifford Berry, participante ativo do projeto, foi chamado para servir nas foras armadas e Atanasoff no conseguiu convencer o agente recrutante que o desenvolvimento deste estranho objeto, o CED, poderia ter importantes usos militares! Logo aps a 2a. Guerra Mundial grandes esforos foram alocados para desenvolver os CED, inicialmente para uso no desenvolvimento da Bomba de Hidrognio. Esses primeiros computadores usavam vlvulas, ocupavam enormes volumes, eram lentos, gastavam muita energia, ocupavam grande nmero de operadores e

operavam apenas por algumas horas entre longos perodos de manuteno em que as vlvulas defeituosas eram substituidas. Inicialmente s eram usados para clculos srios (se secretos melhor ainda). Pouco depois comearam a ser tambm usados em clculos de carater cientfico e no secreto (as demandas cientficas foram um grande propulsor inicial do desenvolvimento dos computadores). Para se ter uma idia, um desses primeiros computadores, o MANIAC, projetado e construido a partir de 1948, no Laboratrio de Los lamos (USA), usava 18000 vlvulas com um consumo de varias dezenas de kW de energia! e custou da ordem de um milho de dlares (da poca, valendo hoje , talvez, uns 20 milhes de dlares). Nos computadores a vlvula, uma vlvula desempenhava o papel de um transistor hoje. Mesmo assim era muito mais lento, com menos memria e menor capacidade de clculo do que uma calculadora de bolso que hoje custa poucas centenas de dlares! Hoje, um microprocessador 486 tem mais de um milho de transistores e consome alguns watts (o crebro humano em operao consome cerca de 20 watts). interessante notar que em 1956 o MANIAC foi usado por Metropolis, Stein e Wells para jogar xadrez. Havia interesse em investigar como um computador poderia ser programado para tomar decises em situaes complexas. Pela reduzida memria optaram por um tabuleiro de 6X6 casas, sacrificando os Bispos, o qu