Apostila mdulo xxii juliano

  • Published on
    09-Jul-2015

  • View
    171

  • Download
    5

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>Mdulo XMdulo XMdulo XMdulo XXXXXIIIIIIII </p><p>Gesto de custos e anlise do resultado econmico da atividade de pecuria de corte e leite </p><p>Curso de Ps-Graduao lato sensu em Nutrio e Alimentao de Ruminantes </p><p>Esp. Juliano Ricardo Resende </p><p>Dezembro de 2013 </p></li><li><p> 2</p><p>APRESENTAO </p><p>Em todos os mdulos desse curso, os temas abordados estiveram relacionados produo animal, a como produzir e a ndices de produtividade. Nesse sentido, concordamos com Demming (1990): as medies de produtividade so como estatsticas sobre acidentes, dizem tudo sobre os acidentes domsticos nas estradas e no local de trabalho, mas no dizem como reduzir a sua freqncia. Por isso que a coordenao tcnica desse curso dedica o ltimo mdulo ao estudo da gesto dos custos e da anlise de resultado econmico de sistemas de produo animal em pastagens. </p><p> Em todas as faculdades e universidades da rea das agrrias, comum disciplinas carregadas de crditos para ensinar o aluno a produzir. Ser eficiente na produo, atualmente no difcil. O difcil tornar o sistema de produo lucrativo, ou do contrrio o tcnico vai ficar sem emprego. Portanto, valorizem este mdulo e no se prendam a ele somente durante o final do curso. preciso se atualizar e principalmente, praticar os ensinamentos desse material. </p></li><li><p> 3</p><p>Autores: </p><p>Adilson de Paula Almeida Aguiar </p><p>Juliano Ricardo Resende </p></li><li><p> 4</p><p> compreensvel que o produtor no se sinta motivado a calcular os custos de produo da pecuria de corte devido srie de dificuldades que ele enfrenta. Na realidade, </p><p>as dificuldades se iniciam na coleta de dados, na separao dos custos de acordo com a metodologia a ser adotada e muitas vezes na compreenso e interpretao dos resultados </p><p>obtidos. Por conhecer tais dificultadores, elaborou-se uma planilha em Excel com o objetivo de facilitar a estimativa dos custos de produo e resultados econmicos da </p><p>pecuria de corte, despertando a viso empresarial dos produtores com a atividade. No contesto, ser mostrado passo a passo os procedimentos de alimentao de dados e </p><p>tambm, vrios conceitos de custo de produo para que o produtor possa ter a anlise econmica de sua atividade e, mais do que isso, saber interpretar os resultados e tomar </p><p>decises corretas. </p></li><li><p> 5</p></li><li><p> 6</p></li><li><p> 7</p><p>SUMRIO </p><p>INTRODUO ........................................................................................................................8 CAPTULO 1 ............................................................................................................................9 CUSTOS DE PRODUO E INDICADORES ECONMICOS .......................................9 </p><p>2.1 CUSTO FIXO .................................................................................................................10 2.1.1 Depreciao de recursos .........................................................................................10 </p><p>2.2 CUSTO VARIVEL......................................................................................................12 2.3 CUSTO OPERACIONAL ..............................................................................................13 2.4 CUSTO ALTERNATIVO OU DE OPORTUNIDADE .................................................13 2.5 CUSTO ECONMICO ..................................................................................................13 2.6 OUTRAS TERMINOLOGIAS.......................................................................................13 2.7 RATEIO DE CUSTOS ...................................................................................................14 2.8 INVENTRIO................................................................................................................14 </p><p>2.8.1 Variao do inventrio animal................................................................................15 2.9 RECEITA .......................................................................................................................15 2.10 LUCRO POR HECTARE.............................................................................................17 2.11 ANLISE ECONMICA E INTERPRETAO DOS RESULTADOS....................17 2.12 FLUXO DE CAIXA .....................................................................................................17 2.13 LUCRATIVIDADE......................................................................................................18 2.14 RENTABILIDADE OU RETORNO DO INVESTIMENTO.......................................18 2.15 TEMPO DE RETORNO DO INVESTIMENTO PAY BACK...............................18 2.16 TAXA INTERNA DE RETORNO (TIR) .....................................................................19 2.17 RELAO BENEFCIO/CUSTO................................................................................19 </p><p>CAPTULO 2 ..........................................................................................................................19 CALCULANDO OS CUSTOS DE PRODUO ...............................................................19 </p><p>2.1 APRESENTAO GERAL DAS GUIAS.....................................................................19 2.2 INVENTRIO LIGADO ATIVIDADE .....................................................................20 2.3 DEPRECIAO DE RECURSOS.................................................................................21 2.4 CUSTO FIXO .................................................................................................................22 2.5 CUSTO VARIVEL......................................................................................................23 2.6 DESPESA ADMINISTRATIVA....................................................................................24 2.7 INVESTIMENTOS ........................................................................................................25 2.8 CUSTO OPERACIONAL ..............................................................................................26 2.9 CUSTO ALTERNATIVO OU DE OPORTUNIDADE .................................................27 2.10 CUSTO ECONMICO OU CUSTO TOTAL..............................................................28 2.11 VARIAO DO REBANHO.......................................................................................29 2.12 RECEITA .....................................................................................................................30 2.13 BALANO PATRIMONIAL.......................................................................................30 2.14 ANLISE DOS RESULTADOS..................................................................................31 2.15 FLUXO DE CAIXA .....................................................................................................32 </p><p>3. REFERNCIAS .................................................................................................................34 </p></li><li><p> 8</p><p>INTRODUO </p><p> O setor agropecurio sempre foi considerado atrasado em relao aos demais segmentos da economia e pouco se faz para adequar as tecnologias existentes e novas formas de gerenciamento da propriedade rural para que se tornem competitivas. A disponibilidade de tecnologia para o setor rural existe, mas ainda no aplicada corretamente. </p><p>Neste contexto, o produtor rural e os tcnicos so sem dvida os agentes de transformao da realidade scio-econmico no campo. So eles que faro o uso das tecnologias disponveis no processo de gerenciamento da propriedade rural. Mas para isso, eles tero que assumir o compromisso de empreendedor, estar ciente do seu papel perante a sociedade, conhecer a atividade na qual est trabalhando, no s no momento de produzir, mas tambm na responsabilidade de se produzir com qualidade preservando o meio ambiente a preo competitivo e atendendo todas as exigncias do consumidor, principalmente do mercado em que atua. Ser bem remunerado na atividade no uma tarefa fcil, porm possvel. No entanto, necessrio um bom acompanhamento no s da parte produtiva mas principalmente financeira. Planilhas de controle financeiro so ferramentas indispensveis para uma tomada de deciso dentro do setor de produo. Alm de mostrar o resultado econmico atual, indicado simulaes de diferentes mudanas e anlise dos resultados. Uma das principais caractersticas do sculo XX foi uma reduo contnua do preo dos produtos da terra. No entanto, ao contrrio do que muitos pensam, a carne vem sofrendo valorizaes modestas, porm constantes. claro que estas valorizaes oscilam e ocorrem tambm desvalorizaes, mas na no longo prazo a carne bovina est de fato valorizada. Na mdia de 2004, uma arroba de boi gordo, base So Paulo, valia aproximadamente R$ 57,1, enquanto que, em 2008, a mdia foi de R$ 78,5 (ANUALPEC, 2009) uma valorizao de 37% em 4 anos, valor acima da inflao. No entanto, os custos de produo tambm aumentaram significativamente. O salrio mnimo e o suplemento mineral, dois itens de maior peso no custo de produo da pecuria de corte em pasto tambm aumentaram e comprometeram o lucro do produtor. Esperar a queda dos custos e a valorizao do produto carne no parece ser a soluo. Esse cenrio exige das atividades de explorao da terra maior competitividade. A competitividade dependente da administrao da produo dentro da empresa. Sem conhecer os custos, o empresrio no saber se est efetivando ou no os lucros e nem ter subsdios para tomar decises corretas para direcionar sua empresa aos resultados positivos ou melhores que os atuais (NOGUEIRA, 2004). A contabilidade de custos permite determinar o lucro e planejar as tomadas de decises (LEONE, 1998). Na verdade, se perguntasse para os produtores quanto eles gostariam de receber pela arroba do boi para ter seu capital rentabilizado em 10 ou 12%, ele no saberia responder. Isso porque natural a acomodao e o respaldo do mercado de baixos preos na justificativa de baixos lucros. No que se nota, sucessores de pecuaristas tradicionais, j com perfil empresarial ou mesmo empresrios bem sucedidos em outras atividades vem conduzindo a atividade pecuria como uma empresa e estes saberiam dizer o quanto gostariam de receber pelo boi. A maior parte dos fazendeiros est preocupada em acompanhar mais os ndices de produtividade do que os de rentabilidade. Isso porque, no seu dia-a-dia, est mais ligado aos aspectos da produo, deixando de lado a parte econmica da atividade (LENZA, 2001) H alguns anos atrs, conhecer os custos de produo era suficiente para um bom modelo de gesto financeira. As empresas sabiam os custos e calculavam os preos de venda, garantindo parte dos lucros que almejavam. Hoje em dia, os preos so formados pelo consumidor e o empresrio deve gerir os custos de produo cujas caractersticas revelam um poder de concentrao econmica, caracterizada em mercado oligopolista. </p><p>Assim, diante de mercados competitivos como os atuais, frente aos desafios e presses oriundos do seu imprevisvel comportamento, buscaremos atravs deste material ajudar o produtor a calcular os custos de produo da pecuria de corte e interpretar os resultados obtidos, a fim de escolher a melhor opo das alternativas de investimentos para o setor rural e possuir mais uma ferramenta na tomada de deciso. </p></li><li><p> 9</p><p>CAPTULO 1 </p><p>CUSTOS DE PRODUO E INDICADORES ECONMICOS </p><p> A definio de eficincia da pecuria comea pela conjuno de despesas e receitas, gerando lucro ou prejuzo. Normalmente, o produtor se preocupa muito com o preo do produto, e o preo no justifica sucesso ou fracasso de um negcio. O que interessa o todo, custo em conjunto com o preo e renda, o que determinar o lucro da atividade em questo (FARIA, 2005). Ter escala tambm fundamental para a sobrevivncia de quem depende da atividade. A estimativa dos custos de produo o detalhamento de todas as despesas e receitas diretas ou indiretas das atividades produtivas envolvidas (GOTTSCHAL et al., 2002). Este custo um dos principais fatores a ser analisado para a boa administrao de uma empresa. Com ele, pode-se estimar a viabilidade econmica de um negcio, em funo do capital investido, compar-lo com outras atividades agropecurias ou at mesmo atividades que no envolvem uso da terra. Porm, se a metodologia do clculo deste custo no for conhecida, esta viabilidade pode ser estimada de maneira incorreta chegando a concluses equivocadas impedindo comparaes com outros segmentos. </p><p>Por no conseguir controlar o preo do produto que vende, o produtor necessita administrar as variveis que esto sob o seu controle. Trata-se de uma estratgia para tornar seu produto competitivo, atingindo menores custos de produo. O resultado econmico em um mercado caracterizado pela concorrncia depende do gerenciamento dos custos de produo e dos ganhos de escala. O aumento da eficincia produtiva fator decisivo para a competitividade do setor que, produzindo com menor custo, beneficiar toda a cadeia (REIS, MEDEIROS e MONTEIRO, 2001). </p></li><li><p> 10</p><p> Reis (2002) define custos de produo como sendo a soma dos valores de todos os recursos (insumos e servios) utilizados no processo produtivo de uma atividade agrcola, em certo perodo de tempo e que podem ser classificados de curto e de longo prazo. Neste caso, o curto prazo a safra, ou seja, o perodo de anlise. </p><p>Aguiar e Almeida (2002) citam que o custo total de produo de um produto agropecurio deve representar todos os pagamentos em dinheiro (custo caixa) assim como as despesas implcitas que no envolvem desembolso de dinheiro (custo no caixa) a exemplo da depreciao dos bens utilizados no processo produtivo ou a remunerao do capital investido, ou a remunerao do capitalista. </p><p>Segundo FARIA (2005), a realidade mostra que o produtor brasileiro ainda no sabe estimar seu lucro, ficando preocupado apenas em cobrir seus custos operacionais. O custo s uma ferramenta usada para que decises administrativas sejam tomadas. O que importa a remunerao do capital, ou seja, a relao entre o lucro e o capital investido na atividade produtiva. </p><p>1.1 CUSTO FIXO </p><p> Custo fixo aquele que permanece inaltervel, em termos fsicos de valor, independente do volume de produo e dentro de um intervalo de tempo relevante (GOTTSHALL et al. 2002). Reis (2002) define custo fixo como sendo aquele que no assimilado totalmente pelo produto no curto prazo, ou seja, considera-se apenas a parcela de sua vida til, por meio de depreciao. Do ponto de vista de fluxo de caixa, estes custos sero reembolsados a longo prazo, devendo, no curto prazo, somente considerar a depreciao do perodo de uso. So considerados custos fixos fatores como a depreciao dos bens e benfeitorias, impostos e taxas de remunerao fixa, calagem, obras de irrigao entre outros fatores que compem o custo de produo. </p><p>1.1.1 Depreciao de recursos </p><p> A depreciao o custo necessrio para substituir os bens quando esses se tornam inteis pelo desgaste fsico. Representa a reserva em dinheiro que a empresa faz durante o perodo de vida til provvel do bem (benfeitorias, animais destinados reproduo e servios, mquinas, implementos, equipamentos) para sua posterior substituio (LOPES e CARVALHO, 2000). </p><p>Quando feito algum tipo de investimento na propriedade que vai ser til por vrios anos consecutivos, no jus...</p></li></ul>