Alimentação e Ayurveda

  • Published on
    14-Jun-2015

  • View
    3.509

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. Alimentao e Ayurveda
    Michele P
    www.ayur-amrita.blogspot.com

2. Oque o Ayurveda?
Cincia da Vida
Cincia do Conhecimento
da Longevidade, da Cura!
uma filosofia de vida que est em plena comunho com o Cosmos.
3. O Ayurveda e a Alimentao
O Ayurveda tem como Pilares a Nutrio, a Meditao, e o Yoga.
Sendo uma Medicina essencialmente preventiva, a alimentao o primeiro
recurso teraputico utilizado, na resoluo de qualquer desequilbrio.
4. A principal condio da sua eficcia, est na elaborao de uma dieta individualizada, que leva em conta a constituio psicofsica de cada pessoa.
5. Falando de humores
No Ayurveda a singularidade de cada Ser e a sua participao no Mundo tida em conta, e so reconhecidos trs Humores essenciais pelos quais todos ns somos constitudos:
GUA+ TERRA= KAPHA
FOGO+ GUA=PITTA
TER + AR = VATA
6. A Digesto e a Assimilao
A Medicina Ocidental, nascida no perodo Grego da Antiguidade Clssica atribua um grande valor Alimentao postulando que ns somos aquilo que comemos.
O conhecimento Ayurvdico corrobora essa afirmao, mas vai mais longe: no o que um homem come que o nutre, mas sim aquilo que assimila.
7. De acordo com o Ayurveda a digesto um processo fulcral na manuteno da Sade do organismo. A mente digere e interpreta todos os alimentos que ingerimos, e todos eles passam a fazer parte da nossa experincia, da nossa energia, e do nosso percurso enquanto seres humanos.
8. A digesto mal feita est na origem da maioria dos desequilbrios dos humores, e na somatizao fsica de variados tipos de factores de ordem:

  • fsica(temperatura, sabor e efeito digestivo do alimento),

- emocional(estado de esprito durante a refeio e digesto, que pode ser afectado por discusses),
- mental(falta de concentrao durante a refeio; conversa sobre assuntos susceptveis de gerar ns no estmago)
- espiritual( recomendada a ritualizao da refeio como forma de propiciar a maior absoro possvel de Prana contido nos alimentos).
9. A Digesto
Em termos fsicos atravs da digesto que as molculas complexas dos alimentos so transformadas, em molculas simples, que podem ento ser absorvidas pelas clulas do corpo provendo nutrio ao mesmo. O processo constitudo por diversos movimentos e misturas enzimticas que geram a decomposio qumica dos alimentos.
10. Prana!
Os alimentos contm uma certa forma e Prana que absolutamente necessrio para a manuteno da fora e da energia do organismo. Esse Prana absorvido a partir do alimento pelos nervos da lngua, da boca e dos dentes. O acto da mastigao liberta este Prana pela separao das partculas de alimentos em diminutos fragmentos, que expem assim lngua, boca e dentes, tantos tomos de Prana quanto seja possvel.
11. JatharagniO Fogo Digestivo
Segundo o Ayurveda o fogo digestivo denominado de Jatharagni, e define a capacidade digestiva de cada organismo, que por sua vez depende da
quantidade e qualidade de enzimas produzidas, tanto no tracto digestivo como nas clulas.
12. A Fome e o Apetite
A fome e o apetite so dois atributos totalmente distintos do corpo humano. A fome o pedido normal de alimentos; o apetite o desejo anormal.
muito difcil explicar as respectivas sensaes ou sintomas de fome e apetite ao comum das pessoas que
chegaram idade madura, porque a maioria tem o seu gosto natural ou fome instintiva, ludibriada de tal modo pelo apetite, que desde h muitos anos no experimentam a sensao de fome genuna.
13. A criana possui uma fome natural, que gradualmente
substituda pelos apetites adquiridos, num grau que depende em grande parte, dos valores alimentares que os seus pais possuem.
14. A Dieta e a Mente
De acordo com o Chndogya Upanishad uma dieta pura conduz a uma mente pura.
Nos textos Vdicos a palavra ahar (nutrio) usada em diversos sentidos. Todos os rgos do corpo tm o seu especfico meio de nutrio. Ver coisas bonitas nutrio para os olhos, ouvir sons melodiosos bom para os ouvidos, a sensao nutre o tacto, o aroma o nariz, e o sabor nutre a lngua.
15. Rasa O Paladar
As papilas gustativas distinguem seis sabores bsicos:
o doce, osalgado,
ocido, oamargo,
oadstringentee opicante.
A Medicina Vdica d grande importncia dieta alimentar, aplicando sistematicamente os diversos sabores para modificar situaes anormais do organismo.
16. Rasa O Paladar
Nos textos Ayurvdicos afirmado que os vrios sabores afectam a aco do Prana, da fora de vital no corpo; afirmam tambm que o sabor de uma
erva no um incidente, mas antes a indicao das suas propriedades teraputicas.
17. Para a medicina vdica, cada um dos sabores exerce uma influncia especfica sobre os trs Humores Vata, Pitta e Kapha -, tornando-se por isso necessrio compreender as suas aces especficas e conhecer a sua constituio de acordo com os cinco elementos (Mahabhutas). O conhecimento dos elementos ser determinante para escolhermos os alimentos adequados, o modo de prepar-los e as possveis
combinaes. A falta de um ou mais sabores da dieta diria pode conduzir a variados desequilbrios e subnutrio.
18. Combinaes alimentares
Para manter uma mente equilibrada num corpo equilibrado, uma boa alimentao da maior importncia. De acordo com o Ayurveda todos os alimentos tm o seu prprio sabor (rasa), uma temperatura (virya) e um efeito ps-digestivo (vipak).
19. Quando dois ou trs alimentos de diferentes sabores, temperatura e efeito ps-digestivo so combinados, o Agni pode ficar sobrecarregado inibindo o sistema enzimtico, o que resulta na produo de toxinas, que se vo espalhar pelo organismo.
Embora o tipo de fogo digestivo individualseja determinante no processo da digesto, a combinao alimentar tambm muito importante.
20. Os alimentos incompatveis so considerados semelhantes a venenos, provocando uma intoxicao artificial. Atravs da combinao de diferentes tipos de alimentos pode-se tornar um alimento saudvel num insalubre, tal como o contrrio.
21. Alimentao Ayurvdica
A Alimentao Vegetariana est profundamente enraizada na ndia,
mas tambm noutras culturas em
torno do Mundo. uma
alimentao completa,
equilibrada e saudvel que
implica, no entanto, um
conhecimento estrutural
sobre os nutrientes que
se complementam para
constituir uma refeio
rica e plena.
22. A Natureza prov todos os nutrientes indispensveis, sendo o reino vegetal responsvel por fornecer produtos mais naturais, de sabor menos intenso. Os alimentos de origem vegetal so melhor
assimilados e menos susceptveis
de causar reaces alrgicas.
23. Os Trs Humores e os Alimentos
O equilbrio harmonioso dos trs humores essencial
paraa manuteno do bem-estar fsico e mental.
Enquanto estiverem em equilbrio, o organismo
Digerede modo adequado, a respirao ocorre
vagarosa e tranquila, o trabalho flui, e o
crescimento e desenvolvimento seguem o seu curso natural.
24. semelhana da constituio humana, os alimentos podem tambm ser classificados de acordo com o seu humor, atravs da observao de qualidades que lhe so prprias (Gunas), e da predominncia dos seus Elementos constituintes.
25. Especiarias
O Oriente utiliza as plantas medicinais h milhares de anos; na ndia, centenas de plantas so aplicadasterapeuticamente, seguindo os princpios do Ayurveda.De entre essas, destacam-se as especiarias. A tradio indiana possui uma experincia milenar na utilizao de condimentos na sua culinria.
26. As especiarias e condimentos so principalmente utilizados como agentes aromticos que aumentam o paladar da comida.
Por exemplo, o alho e a assa-ftida inibem o aumento de bactrias de putrefaco no tracto intestinal. As pimentas verdes fornecem vitamina C. O Aafro e o tamarindo contm uma boa proporo de ferro. Contudo, visto que as especiarias so consumidas em quantidades muito pequenas, o seu valor nutricional no deve ser tido em conta.
27. A Cozinha Ayurvdica
No Ayurveda existem uma srie de regras e rituais que visam criar as condies adequadas para uma confeco, ingesto e assimilao correctas dos alimentos. Como tal, toda esta estrutura parece inicialmente muito rgida, e pouco criativa. A criatividade nasce do domnio e compreenso de todos os factores, tornando-se possvel a elaborao de cardpios originais, mas que reflectem sobretudo uma alimentao inteligente.
28. O Ayurveda uma cincia milenar que impregna todo o conhecimento que sustm a preveno, a cura, o bem-estar e a longevidade. Ele traduz-se em diversas formas, diversas terapias, que se complementam, e que facilitam o nosso caminho enquanto seres em busca do equilbrio.
29. Os padres da vida moderna exercem uma grande influncia sobre os nossos hbitos alimentares, provocando o consumo excessivo e uma vivncia irreflectida, pouco em sintonia com a inteligncia interior do corpo.
A Nutrio, no contexto Ayurvdico funciona como uma melodia, composta por diversos andamentos, e por diversos instrumentos,
que todos sincronizados orquestram um nctar dirio que gera e mantm o equilbrio. Este conhecimento faculta ainda, combinaes alimentares inteligentes que promovem um apetite salutar e um bem-estar geral.
30. Os textos Ayurvdicos contm belas passagens sobre as caractersticas de todas as substncias da Criao, e da aco subtil que todas elas exercem.
A Natureza um clice que recebe o Prana de diversas formas.
Para ns, Seres humanos, ela reservou no s o Ar que respiramos, como a energia vital contida sob a forma de alimentos.
fundamental que nos consciencializemos da importncia da frescura daquilo que comemos, da pureza da gua que bebemos, da serenidade do ritual da refeio, e da preservao da Me Naturez