Apresentação 4º período pesquisa de campo

  • Published on
    29-Jun-2015

  • View
    1.096

  • Download
    4

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. EQUIPEELIZANDRO DOS SANTOSFRANCISCO SRGIO MAQUIN

2. DELIMITAOO gerenciamento administrativo do transporte coletivo:um levantamento estatstico sobre a eficcia daqualidade na prestao do servio pblico nacomunidade do Zumbi II, zona leste de Manaus.PROBLEMATIZACOQual a avaliao dos usurios sobre a eficcia daqualidade na prestao de servio do transporte coletivoe como esta pode contribuir para melhorias desseservio? 3. OBJETIVOGERALAnalisar a eficcia da prestao de servio do transporte coletivo nacomunidade do Zumbi dos palmares II, no trajeto bairro-T5, na Al.Cosme Ferreira, zona leste de Manaus, sobre a avaliao dosusurios, referente ao levantamento estatstico social e cientifico,visando a excelncia em qualidade no que diz respeito ao seugerenciamento.OBJETIVOS ESPECFICOS1. Observar atravs de um estudo exploratrio com as variveis: o trajeto, tipos de usurios, demanda de nibus, outros tipos de transporte na via, tempo de demora e horrio de pico.2. Diagnosticar o grau de satisfao dos usurios que utiliza as linhas de nibus que trafegam na Alameda Cosme Ferreira, em relao aos processos determinantes da qualidade e a eficcia do servio prestado.3. Avaliar a contribuio que o transporte pblico de passageiros proporciona na qualidade de vida dos cidados usurios. 4. INTRODUOEsse relatrio de pesquisa que de modo concreto aotrabalho de campo, onde apresenta dados estatsticos decarter socioeconmico, cujos envolvidos foram os prpriosusurios do transporte coletivo divididos entre estudantes,trabalhadores, idosos. A pesquisa levou-se em compreender a importncia de umdiferencial no atendimento na qualidade do servio prestado,no qual o usurio do transporte coletivo o prprio cliente. Esse exerccio de pesquisa focou a percepo dos usuriosem relao eficcia dos servios prestados pelo transportecoletivo. 5. FUNDAMENTAO TERICAAs percepes e avaliaes dos usurios sobre a qualidade dotransporte coletivo na Alameda Cosme ferreira, Zumbi II/T5A relao que se estabeleceu nessa pesquisa possibilitoucompreenses a respeito da percepo do usurio dotransporte coletivo ao ser inicialmente interrogado noscoloca frente ao que se manifesta, tendo por parte umaatitude aberta e sem preconceitos, com a inteno deconhecer, sendo visto o fenmeno de uma formacontextualizada. Portanto, de vital importncia que ousurio seja a abordagem inicial do estudo.Segundo Albrecht (1999) As empresas centralizadas nosclientes vem o cliente como ponto de partida, posto deescuta e arbtrio final para tudo aquilo que fazem. 6. FUNDAMENTAO TERICA Se obter a avaliao da qualidade dos servios pelos clientes fundamental para uma estratgia organizacional que tenha comoum de seus principais focos a satisfao e a reteno dosclientes, e requer muito mais do que uma simples pesquisaconvencional peridica. Exige ouvir com empatia osmesmos, conhecendo-os a ponto de saber do que gostam e doque no gostam, se os produtos que esto sendo ofertadosatendem ou no s suas necessidades, se os servios de apoioesto adequados ou no e qual a sua opinio em relao aoproduto que est sendo utilizado. Desta forma, de vitalimportncia incluir a voz do cliente nos processos daorganizao. A busca da satisfao dos clientes no uma opo: umaquesto de sobrevivncia para qualquer organizao. Asatisfao dos mesmos o resultado de antecipar e superarsuas necessidades e expectativas implcitas e explcitas edeve ser a razo de ser de todas as organizaes(PRAZERES, 2005). 7. PROCEDIMENTOS METODOLGICOSMODALIDADE DE PESQUISA O mtodo usado foi Fenomenolgico porque consistiu emmostrar o que apresentado e esclarecer este fenmeno, ondeum objeto como o sujeito o percebe, e tudo tem que ser estudotal como para o sujeito e sem interferncia de qualquer regrade observao. Essa pesquisa teve como referencial bsico parmetrosdescritivos, qualitativos e quantitativos. Foi utilizado o procedimento tcnico de pesquisa bibliogrfica. Deu-se como uma pesquisa ao e participante, SegundoGrossi (1981) um processo de pesquisa no qual a comunidadeparticipa na anlise de sua prpria realidade, com vistas apromover uma transformao social em benefcio dosparticipantes que so oprimidos. 8. PROCEDIMENTOS METODOLGICOSCAMPO DE OBSERVAO A Alameda Cosme ferreira, constitudo em sua maioria por viasestreitas, onde ocorre simultaneamente o trfego de veculos, apassagem de pedestres, operaes logstica de carga de mercadorias,entre outros. A ausncia de placas de sinalizao, redutores develocidade, pavimentao em algumas ruas e o tipo de revestimentoutilizado nas aes emergenciais de tapa-buracos nas vias de circulao,dificultam o trnsito de veculos e de pessoas que trafegam naquelelocal interferindo na locomoo dos mesmos. Assim, com a finalidadede evitar danos aos veculos ou pela impossibilidade de trafegar poralgumas vias, so realizadas alteraes nos itinerrios dos nibus, quedificultam a vida dos moradores das comunidades existente naquelelocal. 9. PROCEDIMENTOS METODOLGICOSINSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS Permitiu conhecer os usurios pessoalmente e ver como estodesenvolvendo suas prprias percepes a respeito do servio prestado. Foram coletados os quesitos de satisfao e avaliao dos usurios queutilizam os servios de transporte coletivo, na Al. Cosme Ferreira,atravs de um questionrio. Esse questionrio teve 15 questes,respondidas pelos mesmos nas paradas existente na via, onde, fluxo econcentrao de passageiro so maiores, buscando, levantar asprincipais deficincias e coletar algumas sugestes para melhoria dosistema. Foram aplicadas perguntas fechadas, onde essas foram respondidas deforma oral, a fim de criar um perfil sobre a viso que se tem da eficciado servio prestado do transporte coletivo nesse trajeto. A pesquisa foi realizada no dia 13 de agosto de 2011, onde tempomdio de durao foi de aproximadamente, cinco minutos, podendo teratingido, em alguns casos, o mximo de 10 minutos. 10. PROCEDIMENTOS METODOLGICOSCRITRIOS DE ANLISE DOS DADOS Foram coletados as informaes relacionadas resposta dos abordados (usurio do transporte coletivo),referente ao questionrio com perguntas fechadas, no qualos mesmos foram imputados em um banco de dados(planilha eletrnica) para classific-los e analis-los.Foram feitos o uso de recursos e de tcnicas estatsticascomo: porcentagem, tabulao, grfico e tabelas. 11. PROCEDIMENTOS METODOLGICOSDESCRIO DAS ETAPAS DA PESQUISADiscusso do tema com orientadorFichamento das leiturasElaborao do questionrioAplicao do questionrioAnlise dos dados coletadosRedao do relatrio final 12. APRESENTAO E INTERPRETAO DOS DADOS GRFICO 1 Sexo41%Maculino59%Feminino Fonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011GRFICO 2Naturalidade 3%3%ParPaui94% Amazonas Fonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011 13. APRESENTAO E INTERPRETAO DOS DADOSGRFICO 3Escolaridade9% 3% Ensino Superior Ensino Mdio 88% Ensino Fundamental Fonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011 De acordo com um dos usurios abordados,uma das principais causas de no estar cursando um ensinosuperior, est na demora dos coletivos que utilizo dafaculdade para casa, pois j at iniciei uma faculdade, mas nodecorrer dos perodos tranquei, pois chego muito tarde e jfui assaltado duas vezes, onde levaram o meu celular e meunotebook, trabalho no distrito industrial, estou pagando umconscio de uma moto, no qual tendo um transporte prpriofica mais fcil enfrentar as grandes distncias que me levacursar um ensino superior. 14. APRESENTAO E INTERPRETAO DOS DADOSGRFICO 4Perfil de usurio 7% trabalhador 47% Estudante 46% Idoso Fonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011O aumento da participao e da eficincia do transporte coletivo feito por nibus, nas reas urbanas, surge como soluo mais simples e no muito onerosa para garantir o acesso das pessoas ao emprego, a servios, ao lazer e s compras (MELO 2000, p.35). O autor complementa, afirmando que enfatizar o sistema de transporte urbano na elevao da participao do coletivo frente ao individual assegura o acesso de grande parcela da populao s oportunidades que a cidade oferece. 15. APRESENTAO E INTERPRETAO DOS DADOSGRFICO 5O TRANSPORTE COLETIVO QUE TRAFEGA NA SUA COMUNIDADE TEM SOLUO?47% Sim53% NoFonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011 De acordo com dois dos usurios abordados, O que respondeu sim,Temos recursos disponveis para resolver esse problemamais a questo no est em primeiro plano, falta dedicaoda administrao pblica. O que respondeu no,As empresas que administram o transporte coletivo, nacidade de Manaus s visam lucro e no esto nem a parapopulao usuria, o exemplo falta de transporte aosdomingos e feriados. 16. APRESENTAO E INTERPRETAO DOS DADOS GRFICO 6 A LINHAS DE NIBUS QUE TRAFEGAM NA VIA ATENDEM REALMENTE A NECESSIDADE DA COMUNIDADE? 0% 6% Sim Parcialmente No94% Fonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011De acordo com um dos usurios abordados,utilizo o transporte coletivo no como opo principal, massomente em casos especficos de ir de uma zona a outra dacidade, o motivo consiste na viagem demorada que otransporte desenvolve ao longo do percurso e na maioria dasvezes apresentar-se lotado, quando isso acontece s vezesutilizo o transporte executivo, pagando a mais pelapassagem.. 17. APRESENTAO E INTERPRETAO DOS DADOSPONTOS MAIS IMPORTANTES NA PERCEPO DO USURIO, SOBRE A EFICCIA NAQUALIDADE DO SERVIO PRESTADO. 20.00% 18.00%17.74% 16.13% 16.00%14.52% 14.00% 12.00%11.29%11.29% 10.00%8.06% 8.06% 8.00% 6.45% 6.45% 6.00% 4.00% 2.00% 0.00%Conforto doEstado de Freqncia Limpeza dos Pontos de Pontualidade Rapidez Segurana na Servio denibusconservao de viagens nibusparadas conduo do atendimentodos veculosnibusao usurioFonte: Dados da Pesquisa de campo agosto/2011 18. CONSIDERAOESFINAISO presente estudo espera dar possveis resposta aosusurios do transporte coletivo nesse local, oslevantamentos aqui mostrado possam oferecer aos rgosque administram o sistema de transporte coletivo na cidadeManaus, um tratamento especial questo de um sistemaracional adequado, coerente com a modernizao em outrospases, certamente contribuir para desenvolvimento durvele par

Recommended

View more >