Lendas 4ª série B e 4ª série C

  • Published on
    05-Dec-2014

  • View
    4.919

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

<ul><li> 1. Lendas e Mitos Folclore 22 de agosto </li> <li> 2. Lendas As lendas so estrias contadas por pessoas e transmitidas oralmente atravs dos tempos. Misturam fatos reais e histricos com acontecimentos que so frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicaes a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais. </li> <li> 3. Corpo-Seco Aps sua morte, de acordo com a lenda, ele foi rejeitado por Deus e at pelo diabo. At mesmo a terra, onde havia sido enterrado, o expulsou. Com o corpo em estado de decomposio teve que sair de seu tmulo. Comeou a viver como alma penada, grudando nos troncos das rvores, que secavam quase que imediatamente. Ele ento passou a viver assombrando as pessoas nas estradas. De acordo com a lenda, quando uma pessoa passa na estrada o corpo-seco gruda em seu corpo e comea a sugar o sangue. </li> <li> 4. Mula sem cabea Diz a lenda que as mulas-sem-cabea so mulheres que mantm casos amorosos com padres catlicos, nas cidades do interior do Brasil, e como castigo recebem esta terrvel sina. </li> <li> 5. Lobisomem Esta lenda conta que quando uma mulher tem 7 filhos o stimo, esse menino ser um Lobisomem. Tambm uma maldio de mulher amancebada com um Padre o filho ser lobisomen. </li> <li> 6. Boitat Tambm conhecido como "fogo que corre", o boitat, no folclore brasileiro, uma grande cobra de fogo. </li> <li> 7. Curupira O Senhor, a Me, o Guardio das florestas e da caa, que castiga a todo aquele que a destri, premiando a aqueles que no o contrariam no seu desejo de manter a mata viva, e tambm para aqueles que se mostram solcitos e obedientes. </li> <li> 8. Boto cor de rosa As lendas contam que noites de festas juninas o boto rosado aparece transformado em um bonito e elegante rapaz mas sempre usando um chapu, porque sua transformao nao completa, pois suas narinas se encontram no topo de sua cabea fazendo um buraco. Como um cavalheiro, ele conquista e encanta a primeira jovem bonita que ele encontra e a leva para o fundo do rio. </li> <li> 9. Saci Perer Nas cidades e nas roas, todo mundo tem medo de Saci. um perneta muito safado que adora fazer estripulias nos terreiros das fazendas e assustar os animais no pasto. Pedrinho, que no tem medo de nada, conseguiu caar um com a peneira e coloc-lo na garrafa, como ensinou um velho caboclo das vizinhanas. Mas logo devolveu a liberdade ao Saci e ficaram amigos. O Saci ensinou a Pedrinho os segredos da floresta. </li> <li> 10. Iara Me Dgua A Iara vivia num lago escondido no meio da floresta. Era muito bonita. Tinha cabelos negros muito longos e olhos to verdes quanto a gua do lago. costuma atrair os homens com seu belo e irresistvel canto. As vtimas costumam seguir Iara at o fundo dos rios, local de onde nunca mais voltam. Os poucos que conseguem voltar acabam ficando loucos em funo dos encantamentos da sereia. </li> <li> 11. Pisadeira De acordo com a lenda, a Pisadeira passa grande parte do tempo nos telhados das casas. Ela fica observando o movimento dentro das casas. Aps o jantar, quando algum vai dormir de barriga cheia ela entra em ao. Sai de seu esconderijo e pisa no peito da pessoa, deixando-a em estado de paralisia. Porm, a vtima da Pisadeira consegue acompanhar tudo de forma consciente o que traz grande desespero para a pessoa, pois nada consegue fazer para sair da situao. </li> <li> 12. Vitria-rgia H muitos anos, nas margens do majestoso Rio Amazonas, Naia, uma jovem e bela ndia ficava a admirar e contemplar por longas horas a beleza da lua branca e o mistrio das estrelas. Ela acreditava que a Lua era um bonito guerreiro - Jaci, e sonhava em ser a noiva desse bravo guerreiro. Na noite seguinte, Naia deixou a aldeia esperando realizar seu sonho. Ela tomou o caminho do rio para encontrar a lua nas negras guas. Refletida no espelho das guas, l estava a Lua, imensa, resplandecente. Naia, em sua inocncia, pensou que a lua tinha vindo se banhar no rio e permitir que fosse tocada. Ela mergulhou nas profundezas das guas desaparecendo para sempre. </li> <li> 13. Gralha Azul Conta a lenda que, uma certa gralha negra, dormia num galho de pinheiro e foi acordada pelo som dos golpes de um machado. Assustada, voou para as nuvens, para no presenciar a cena do extermnio do pinheiro. L no cu, ouviu uma voz pedindo para que ela retornasse para os pinheirais, pois assim ela seria vestida de azul celeste e passaria a plantar pinheiros. A gralha aceitou ento a misso e foi totalmente coberta por penas azuis, exceto ao redor da cabea, onde permaneceu o preto dos corvdeos. Retornou ento aos pinheirais e passou a espalhar a semente da araucria. </li> </ul>