Novas oportunidades

  • Published on
    18-Jun-2015

  • View
    2.870

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li> 1. Ficha tcnicaTtuloIniciativa Novas Oportunidades: Resultados da Avaliao Externa (2009-2010)EditorAgncia Nacional para a Qualificao, I.P.(1. Edio, Novembro 2010)CoordenaoRoberto CarneiroAutoriaAna Cludia ValenteCarlos LizHenrique LopesJorge CerolMaria Amlia Mendona / Maria Ana CarneiroRodrigo Queiroz e MeloInstituio responsvel pela realizao dos Estudos de AvaliaoCentro de Estudos dos Povos e Culturas de Expresso Portuguesa (CEPCEP) da Universidade Catlica PortuguesaDesign Grfico e PaginaoLus Santos, ANQ, I.P.RevisoANQ, I.P.ISBN978-972-8743-69-7Agncia Nacional para a Qualificao, I.P.Av. 24 de Julho, 138 1399-026 Lisboa Tel. 213 943 700 www.anq.gov.pt Ficha tcnica</li></ul><p> 2. ndice ndice5 Nota de apresentao7 Sumrio executivo 91. Nota de enquadramento132. A emergncia de uma marca (pblica)17 2.1. Objectivos e metodologia17 2.2. Resultados183. Comprovada qualidade de servio e satisfao 21 3.1. Objectivos e metodologia21 3.2. Resultados223.2.1. Elevada satisfao e pontos fortes 223.2.2. reas de melhoria284. A nova oferta desbloqueou a procura potencial de qualificaes 39 4.1. As questes da avaliao no mbito dos estudos de caso de Centros Novas Oportunidades 39 4.2. Resultados415. Impactos da Iniciativa sobre as pessoas inscritas47 5.1. Objectivos e metodologia47 5.2. Resultados485.2.1. Quem so as pessoas inscritas na Iniciativa? 495.2.2. Os impactos verificados a nvel pessoal, social e profissional 515.2.3. Deteco de tendncias 586. A melhoria das competncias-chave e o desafio de uma maior ligao ao mundo do trabalho61 6.1. Referncias metodolgicas 61 6.2. Resultados e novos desafios 627. Auto-avaliao dos Centros Novas Oportunidades 73 7.1. Objectivos e metodologia73 7.2. Filosofia subjacente e resultados 748. Concluses e recomendaes 79 Siglas utilizadas85 Anexos 87ndice 3. Nota de apresentaoO presente relatrio procede apresentao dos principais resultados, concluses e recomendaesreferentes Avaliao Externa do Eixo Adultos da Iniciativa Novas Oportunidades (INO), com base nostrabalhos de campo que tiveram lugar aps a apresentao pblica dos primeiros resultados, efectuada emJulho de 2009, no mbito de um seminrio realizado para o efeito.Recorda-se que se encontram disponveis no stio electrnico na internet, em http://www.anq.gov.pt (Ava-liao Externa da Iniciativa Novas Oportunidades) a totalidade dos documentos produzidos no mbito doprimeiro ano da avaliao externa e o registo integral dos vdeos com as intervenes realizadas no mencio-nado seminrio.No Anexo 1 deste relatrio d-se conta dos membros da equipa de investigao da Universidade CatlicaPortuguesa (CEPCEP), a quem foi cometida a responsabilidade pela Avaliao Externa da Iniciativa NovasOportunidades Eixo Adultos e, no Anexo 2, apresenta-se a composio do painel de peritos externos,internacionais e nacionais, que acompanham, de modo independente e com reputada experincia, esteexerccio de avaliao.Constituindo a Iniciativa Novas Oportunidades uma resposta ao repto de qualificao dos portugueses,a que urge responder de modo determinado e com forte mobilizao social, por um lado,e sendo alocados execuo da mesma significativos recursos pblicos, por outro, o exerccio de avaliaoexterna procura simultaneamente: expor evidncias e fundamentos que permitam uma deciso poltica tempestiva e adequada e uma lide- rana inspirativa e galvanizadora de parceiros sociais; produzir recomendaes que proporcionem a melhoria contnua da qualidade e eficincia dos processos e a consecuo de uma mudana efectiva e sustentvel. semelhana do ano anterior, constitui desejo da equipa de avaliao que a publicao do presente relatrioproporcione mais uma oportunidade til de reflexo e debate informados, na senda da viabilizao de umfuturo de maior coeso e qualidade para as novas geraes de portugueses.Nota de apresentao 4. Sumrio executivoA Iniciativa Novas Oportunidades surgiu como res- A circunstncia de todo o trabalho de avaliao serposta necessidade de Portugal vencer o ciclocientificamente acompanhado e criticado por um pai-longo de atraso nacional face aos outros pases nel de reputados peritos (Anexo 2), internacionais edesenvolvidos, investindo conjugadamente na me- nacionais, garante o rigor analtico-metodolgico e alhoria contnua das condies de escolarizao dasqualidade interpretativa do conjunto do exerccio decrianas e jovens, por um lado, e na reverso dainvestigao.atvica desqualificao da populao adulta (que seviu privada do direito a uma adequada educao- Por outro lado, a transformao do conhecimento emformao inicial na idade prpria). prticas de aco, quer na sequncia de recomen-daes, quer pelo aprofundamento da anlise emUma poltica pblica da envergadura desta Iniciativa, conferncias e seminrios (entre outros), traduzemcom o alcance poltico que lhe foi conferido, mobili- uma filosofia geral de investigao-aco que pode,zando avultados recursos, teria naturalmente de ser e tem, permitido a melhoria continuada da eficinciasubmetida ao escrutnio de uma avaliao externae eficcia desta poltica pblica.e independente, de natureza marcadamente acad-mica. Recorda-se que os primeiros resultados da Avalia-o Externa, levada a cabo em 2008-2009, foramA abordagem utilizada pela Universidade Catlicaapresentados publicamente e debatidos com espe-Portuguesa na Avaliao Externa efectuada sobre cialistas num seminrio realizado no dia 10 de Julhoo Eixo Adultos valorizou, por um lado, a recolha de de 2009. Encontra-se disponvel no stio electrnicodados confiveis sobre a qualidade e os impactosna internet, em http://www.anq.gov.pt (Avaliao Ex-da Iniciativa Novas Oportunidades (eixo de ava- terna da Iniciativa Novas Oportunidades) a totalidadeliao sistmica) e, por outro, a capacitao dodos documentos produzidos no mbito do primeirosistema para a sua auto-regulao futura, atravs ano da Avaliao Externa e o registo integral dos v-de instrumentos de monitorizao permanente (eixo deos do mencionado seminrio.monitorizao e auto-avaliao).Procede-se, agora, de acordo com os princpios daNo primeiro eixo, o de avaliao sistmica, podemos transparncia e da prestao de contas, e bem as-distinguir vrias questes relacionadas com as pol-sim no quadro das metodologias de investigaoticas pblicas concretizadas no programa, com osconstantes do Anexo 3, divulgao resumida dosmecanismos de implementao e sustentabilidaderesultados do segundo ano de Avaliao Externa(coerncia, pertinncia e relevncia), com a anlise(2009-2010).do funcionamento do sistema de actores (organiza-o e desempenho), com a avaliao dos resultados 1. Percepes: A emergncia de uma marcae impactos. No segundo eixo, foram desenvolvidasduas frentes: uma primeira de adequao do SIGO A Iniciativa Novas Oportunidades percebida, pors necessidades da avaliao; e uma segunda depblicos-alvo e seus agentes, j como uma marcaimplantao gradual de um modelo de auto-avalia-pblica (de servio) com valores claros, a saber:o que permita sustentar a melhoria sistemticados procedimentos. No Anexo 1 d-se conta dos acessibilidade (adaptada aos tempos/ritmosmembros da equipa de investigao a quem foi co-prprios, aberta a flexibilidade/mobilidade);metida a responsabilidade pela Avaliao Externada Iniciativa Novas Oportunidades Eixo Adultos. incluso (valorizao de cada indivduo e dasua histria de vida);Sumrio executivo 5. horizontes (acesso a cenrios no futuro, possi- 4. A nova oferta desbloqueou a procura poten-bilidade de sonho e de mudana).cial das qualificaes2. Comprovada qualidade de servio e satisfa- h preferncia pelo Sistema de Reconhecimen-o (inscritos e ex-inscritos) to, Validao e Certificao de Competncias porque tem menos custos de oportunidade paraA avaliao efectuada pelos adultos que esto ou jos indivduos (menores sacrifcios porque temestiveram inscritos na Iniciativa globalmente posi-maior capacidade de adaptao s condiestiva, registando-se: pessoais de cada adulto); elevada satisfao com a qualidade de servio a procura dos cursos Educao-Formao estsobretudo das equipas, mas tambm das insta- a ser induzida pelos Centros de Emprego elaes;regista j grande impacto junto de desempre- gados, mas tambm junto dos menores de 40 aumento da procura do 12. ano por parte dos anos;mais recentes aderentes (com destaque paraactivos empregados); os cursos de dupla certificao (escolar e profis- sional) trazem ganhos mais explcitos do ponto avaliao muito boa do primeiro contacto com o de vista profissional, sobretudo para quem com-Centro Novas Oportunidades;pletou processos de RVCC profissionais. a produo do portflio sentida como um dos 5. Impactos da Iniciativa sobre os inscritospontos fortes do processo de qualificao; a Iniciativa continua a captar forte adeso dos considerada pelos prprios como muito im-adultos mas mantm-se a dificuldade de captarportante a passagem pela Iniciativa Novasalguns segmentos mais resilientes: jovens me-Oportunidades. nores de 30 anos, mulheres de idade superior a 50 anos e profissionais pouco qualificados;3. Para alm do aumento dos nveis de educaodos adultos verifica-se uma melhoria efectiva a famlia tem inegveis impactos na procura dadas suas competncias-chaveIniciativa a assimetria de qualificao entre cnjuges induz a procura por parte do menos os maiores ganhos de competncia so em li-qualificado, designadamente quando se trata doteracia (leitura, escrita e comunicao oral) emarido; por outro lado, quando um membro doem e.competncias (uso de computador e inter-casal inicia o percurso h elevada probabilidadenet);de o outro tambm vir a aderir; h forte reforo da auto-estima e da motivao em relao a 2009, intensificou-se o acessopara continuar a aprender - Aprender a apren- dos indivduos certificados sociedade de in-der;formao; para usos pessoais e profissionais a percentagem de utilizadores de internet ele- h melhoria generalizada das soft-skills: compe- vou-se de 67% para 83% e os heavy-userstncias pessoais e sociais, cvicas e culturais. passaram de 35% para 60%;10Sumrio executivo 6. os ganhos do eu so muito expressivos: de- planos de melhoria e aces correctivas, cen-clarado o aumento de cultura geral, o reforotrando as equipas nas necessidades do queda vontade de continuar a estudar e aumentam referem ser os nossos clientes; o facto de estetambm quer o sentimento de segurana quer trabalho ser feito em equipa e de modo sistem-a extroverso; tico, assente em informao objectiva, permite o progresso contnuo e aumenta a satisfao dos as pessoas declaram ainda que a Iniciativa profissionais, segundo afirmao dos prprios.Novas Oportunidades permite concluir ciclosde estudo que ficaram em aberto ao longo daSumariamente, podemos concluir que:vida; fundada em necessidade conhecida e estuda- 32% das pessoas disseram ter havido pelo me-da, a poltica pblica adoptada gerou adeso enos um factor positivo na sua vida profissional tornou-se marca pblica, hoje j percepcionadamotivada pela passagem pela Iniciativa Novasgeneralizadamente por pblico, profissionais eOportunidades; a grande maioria dos que mu- outros actores (designadamente empresas/en-daram fizeram-no para melhor: tidades empregadoras); maior nmero de pessoas com responsabi- a avaliao tem produzido informao e geradolidades sobre terceiros instrumentos de suporte reflexo continua-da e melhoria contnua de procedimentos. O maior estabilidade de emprego conhecimento apura-se, encontra suporte nainvestigao, e isso constitui mbil de aco alargamento de competncias pblica melhorada com base na evidncia; grande parte dos que esto (ou estiveram) ins- a procura massiva, que era necessria para fa-critos na Iniciativa Novas Oportunidades (acima zer Portugal convergir em qualificaes com ade 85%) diz-se disponvel para recomendar a Europa e reforar a competitividade nos mdio-experincia a outros adultos, tornando-se em- longo prazos, foi desbloqueada pela adequaobaixador da Iniciativa. da nova oferta (mais flexvel nos mtodos eproporcionando horrios adequados). O teste-6. A auto-avaliao dos Centros Novas Oportu-munho positivo dos que esto ou j passaramnidades j est no terreno 265 centros e mais pela Iniciativa Novas Oportunidades continua ade 8500 profissionais foram envolvidoscontagiar novas adeses agora j mais orien-tadas para o objectivo estratgico de elevao os profissionais declaram que a auto-avaliaodo patamar de qualificao generalizada doscontribui de modo relevante para a forma como portugueses para o nvel do ensino secundrio;trabalham e que tem impactos relevantes nofuncionamento do Centro; os mesmos afirmam a Iniciativa Novas Oportunidades representa umainda que til que o modelo seja comum aprocesso inovador de organizao do sector p-todos os Centros e que dever continuar a ser blico, visando a procura de maior satisfao doutilizado no futuro.cidado/cliente e a oferta de um servio pblicode proximidade; o processo de reflexo crtica a partir de indica-dores do SIGO permite o desenvolvimento de11Sumrio executivo 7. a generalidade dos certificados pela IniciativaA adeso das populaes visadas pela Iniciativa regista altos graus de satisfao com o processo , pela sua expresso quantitativa e temporal, um e evidencia avanos inequvocos no plano das caso nico e destacado no panorama das polticas competncias-chave detidas, destacando-se os pblicas de educao-formao de adultos, seja em progressos no vontade perante os desafios da Portugal, seja mesmo no contexto europeu. sociedade da informao; apesar da crescente adeso das empresas e de 30% dos participan- A Avaliao Externa levada a cabo tem vindo a for- tes declararem ter j sentido efeitos positivos na necer informao e dados preciosos para a melhoria carreira profissional, este um domnio que me- continuada da Iniciativa bem como mtricas de aferi- rece uma ateno especial, por possuir ainda o da sua qualidade e dos seus impactos. uma margem larga de progresso;No plano estratgico, e num horizonte de mdio o reforo da motivao para continuar a estudarprazo, a Iniciativa Novas Oportunidades encerra e da auto-confiana nas capacidades pessoais um potencial precioso e de inigualvel riqueza con- para chegar mais longe na conquista de qua-ceptual para inspirar a estruturao de um sistema lificaes avanadas representa um benefcio de aprendizagem ao longo da vida susceptvel de muito relevante para os que logram concluircolocar Portugal na dianteira dos demais pases Eu- o processo de certificao da Iniciativa Novas ropeus e da OCDE, que normalmente lhe servem de Oportunidades; benchmark. no entanto, persistem alguns sectores da popu- lao jovens menores de 30 anos, mulheres de idade superior a 50 anos e profissionais pouco qualificados que se mostram mais resilientes a uma adeso espontnea Iniciativa, cons- tatao que parece indiciar a necessidade de uma inteligente segmentao da comunicao e a convenincia de uma maior diferenciao dos modelos de oferta no terreno.A Iniciativa Novas Oportunidades nasceu para res-ponder a um imperativo de justia e de necessidade:o de mobilizar o elevado nmero de adultos por-tugueses detentores de baixas qualificaes empercentagem clara e preocupantemente superior aodos nossos pares europeus para um...</p>