Resposta a infecções

  • Published on
    14-Jun-2015

  • View
    658

  • Download
    6

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. Universidade Federal da BahiaRespostas Imunes a Agentes Infecciosos

2. Caractersticas Principais: Mediada por mecanismos da imunidade inata e adaptativa, seja humoral ou celularDependendo do microorganismo, alguns dos mecanismos citados acima podem se sobrepor a outros e ser mais importante na eliminao do agente Resposta Imune ProtetoraMuitos agentes infecciosos desenvolveram mecanismos de evaso com o objetivo de burlar os mecanismos imunesAs leses decorrentes das infeces podem ser conseqncia direta da ao dos patgenos, mas em grande parte acontecem pela ao da prpria resposta imune do hospedeiroO tipo de resposta imune protetora pode variar de acordo com a localizao do agente no hospedeiro (intracelular, extracelular), com os mecanismos de evaso e com as caractersticas intrnsecas dos antgenos de cada agente 3. Mecanismos de desenvolvimento de patologias associadas s infeces 4. Localizao X Imunidade 5. Mecanismos Gerais de Defesa 6. Imunidade a Bactrias Extracelulares: Principais mecanismos da Imunidade Inata: ativao do complemento, fagocitose e resposta inflamatria ativadores potentes de Toll na membrana de diversos patgenos (LPS)Imunidade Adaptativa: Resposta Imune Humoral no somente a antgenos de membrana, mas tambm dirigida a toxinas produzidas pelas bactrias. Resposta Celular Th17Opsonizao Neutralizao Ativao de Complemento - Fagocitose Mecanismos imunes deletrios Choque Sptico, coagulao intravascular disseminadaSuperantgenosAuto-anticorpos induzidos por antgenos bacterianos Estreptococos e miocarditesMecanismos de evaso variao antignica, cobertura de antgenos self 7. Imunidade a Bactrias Extracelulares: 8. Imunidade a Bactrias Extracelulares: 9. Imunidade a Bactrias Intracelulares: A resposta inata a bactrias intracelulares baseia-se principalmente em fagocitose e ao de clulas NKImportante IL-12 e IFN-gMecanismos de Imunidade Adaptativa: Imunidade Celular, dependente de IFN-gamma e ao de CD8IFN-gamma participa tambm pela produo de anticorpos opsonizantes que participam numa fase pequena extracelular do ciclo da bactriaModelo de camundongos Knock-Out definio da importncia de citocinas e receptores na imunidadeDTH induzida por ativao de macrfagos granulomasResistncia a Fagocitose como principal mecanismo de evaso 10. Imunidade a Bactrias Intracelulares: 11. Imunidade a Bactrias Intracelulares: 12. Imunidade a Bactrias Intracelulares: 13. Imunidade a Bactrias Intracelulares: 14. Imunidade a Fungos: Por haver vrias localizaes diferentes de fungos em processos infecciosos, a resposta uma mescla das caractersticas de processos tpicos para agentes intra e extracelularesImportante resposta mediada por neutrfilos (ROIs, enzimas lisossomais), e tambm macrfagosImportante mecanismo celular em fungos que habitam dentro de clulas do hospedeiro importante participao da interao Th-Tc (CD4-CD8)Respostas Tipo Th2 geralmente so desfavorveis desvio da resposta como mecanismo de evaso em alguns fungosProduo de anticorpos opsonizantes importante para a defesa, ao de complemento importante, mas este freqentemente inativado pela ao de alguns fungos em especficoTh17 Primordial para os extracelulares 15. Tipos de Fungos causadores de infeces 16. Reconhecimento de estruturas de fungos e ativao do sistema imune 17. Sistemtica da Resposta Imune a Fungos 18. Resposta Inata e Adaptativa a Fungos 19. Resposta Imune a Fungos - Interferncias (Shoham & Levitz, 2005) 20. Resposta Imune a Fungos (Shoham & Levitz, 2005) 21. Imunidade a Vrus: Agentes intracelulares obrigatrios a resposta imune norteada para a defesa contra clulas infectadas, que servem de fbricas de novas partculas viraisImunidade Inata extremamente importante os Interferons Tipo I (alfa e beta) os quais inibem a replicao viral, e tambm por ao de clulas NK destruindo clulas infectadasImunidade Adquirida: diversos fatores, tais como:Anticorpos neutralizantes impedem a ligao de molculas especficas do vrus com molculas da membrana celular, impedindo a entrada do vrus na clulaO mais importante meio de defesa contra os vrus a citotoxicidade exercida pelos LT CD8+ - Importante Resposta Th1 e produo de IFN-gammaMuitas vezes, uma infeco viral macia resulta em processo de lise celular intensa, causando patologias especficas, como no caso da HepatiteMecanismos de Evaso mutaes em molculas imunognicas, inibio da apresentao de antgenos, inibio de citocinas, morte de clulas imunes 22. Imunidade a Vrus: 23. Imunidade a Vrus: 24. Imunidade a Vrus:Antigenic Shift 25. Imunidade a Vrus:Antigenic Drift 26. Imunidade a Parasitas: A Parasitologia formada do estudo de trs grandes grupos: Helmintos, Artrpodos e Protozorios agentes extremamente diferentes entre si em termos de estrutura, composio antgenica, localizao no hospedeiroMuitos dos parasitas apresentam um ciclo biolgico com formas completamente distintas entre si no mesmo ciclo, e, em muitos casos, composio antignica que varia sensivelmente de forma a forma (ex: de tripomastigota a amastigota, de larva a adulto)Talvez sejam os microorganismos que estejam melhor adaptados para conviver o hospedeiro, e aqueles que desenvolveram as melhores estratgias de evaso da resposta imunolgicaCoincidentemente, no existem vacinas atualmente que apresentem boa eficcia no combate a NENHUM parasita. Muitos duvidam que ainda v existir alguma.Resposta Imunes Variveis dependendo do tipo do parasita, e de sua localizao. 27. Imunidade a Protozorios: Principais protozorios causadores de doenas: Plasmodium, Trypanossoma, Toxoplasma, Leishmania (humanos), Leishmania, Babesia (animais)Intracelulares, podendo estar hospedados no citoplasma da clula ou em vesculas especializadasForte interao com clulas APC glicococonjugados de membrana ligantes a Toll (Tolls 4 e 2), cidos nucleicos ligantes a Toll 9 (CpG no metilados), algumas protenas ligantes a Toll 11 (flagelina)Defesa baseada na ao de macrfagos ativados, clulas NK e Linfcitos T CitotxicosResposta Humoral participando apenas em uma curta fase extracelularTodos os protozorios possuem formas diferentes em seu ciclo biolgico, nas quais ocorre mudana sensvel nas caractersticas antignicas 28. Imunidade a Protozorios: 29. Imunidade a Protozorios: 30. Imunidade a Protozorios: 31. Resposta Imune ao Toxoplasma gondii (Denkers & Gazzinelli, 1998) O2-, H2O2 T. gondii(Nathan et al, 1983)IFN-gNONKg IFN-(Langermans et al. 1992)Th1 IFNgAPC pThCD4+IL-2 IFN-g CD8+ pThIFN-gTNF-a 32. Resposta Imune ao Trypanossoma cruzi (Gazzinelli et al, 2004) 33. Interferon Gamma e Toxoplasma gondii 34. Evaso Imune de Protozorios1. Recluso anatmica no hospedeiro. Estgios intracelulares evitam parte da Resposta Imune E.g. Plasmodium dentro de eritrcitos quando infectados, no so reconhecidos por clulas NK e TC. Tambm a forma intracelular heptica apresenta essa opo. Leishmania spp & Trypanosoma cruzi dentro de macrfagos. 35. Estratgias de Evaso Imune em Protozorios 3. Variao antignica.Em Plasmodium, diferentes estgios do ciclo de vida do parasito expressam diferentes antgenosVariao antignica tambm no protozorio extracelular Giardia lamblia. 36. Estratgias de evaso imune em protozorios 3. Variao antignica. Trypanosomas africanos -1 glicoprotena de superfcie que cobre todo o parasita - VSG. Imunodominante para a resposta mediada por anticorposTryps possuem gene cassettes de VSGs que permitem mudanas constantes nesses VSG.O hospedeiro monta uma resposta imune para a VSG atual, mas o parasita j muda a sua VSG para uma forma diferente 37. Estratgias de evaso imune em protozorios 3. Variao antignica Parasitos expressando novos VSG escapam da deteco por anticorpos, replicam e continuam a infecoPermite a sobrevivncia do parasito dentro do hospedeiro por meses a anosMais de 2000 genes envolvidos. 38. Estratgias de evaso imune em protozorios 3. Variao antignica Flutuao de parasitemiaAps cada pico, a populao de Tryps apresenta-se geneticamente diferente da anterior, e diferente da encontrada nos prximos picos. 39. Estratgias de evaso imune por protozorios. 4. Mudana de antgenos / Diferenas de membrana e.g. Entamoeba histolytica.5. Immunosupresso manipulao da resposta imune do hospedeiro e.g. Plasmodium.6. Mecanismos anti-imunes - Leishmania inibio do processo fagoctico e da liberao de reativos intermedirios do oxignio. 40. Parasitas de sucesso Estratgias de sobrevivncia em hospedeiros vertebradoe e invertebrados 41. Imunidade a Helmintos: Baseada principalmente em mecanismos desencadeados por Linfcitos T do Tipo Th2Importantssima a ao de eosinfilos e de IgE Os eosinfilos reconhecem a IgE ligada a membrana de helmintos atravs de seus receptores FCe, secretando nesse momento enzimas que destroem diretamente os parasitasAtivao dos Eosinfilos por IL-5, Troca de Isotipo para IgE em Linf. B induzida por IL-4, portanto a resposta do Tipo Th2 protetora 42. Respostas Imunolgicas de Vertebrados a Helmintos A grande maioria extracelular e muitos grandes para a fagocitose.Alguns nematdeos gastrointestinais o hospedeiro desenvolve inflamao e hipersensibilidadeEosinfilos e IgE iniciam as respostas inflamatrias no intestino e pulmes.Dependente de histamina similar a reaes alrgicas (Hipersensibilidade Tipo I) 43. Respostas Imunolgicas de Vertebrados a Helmintos Fase Aguda - IgE & eosinfilos mediam inflamao sistmica expulso do parasitoExposio crnica: DTH, Th1 / ativao de macrfagos - granulomas. Th2 / Aumento da produo de IgE por Linf. B, do nmero de mastcitos e eosinfilos ativados - inflamao 44. Respostas Imunolgicas de Vertebrados a Helmintos Helmintos induzem respostas do tipo Th2 - IL-4, IL-5, IL-6, IL-9, IL-13 & eosinfilos & anticorpos (IgE).Reaes ADCC caractersticasreactions, i.e. Clulas natural killer (NK) direcionadas diretamente contra o parasito agem por intermdio de anticorpos especficos ligados na membrana do helminto E.x. Morte de larvas por clu