Ata 2014 05-20

  • Published on
    09-Aug-2015

  • View
    146

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ol><li> 1. Ata da Assemblia Geral ExtraordinriaCondomnio Residencial AtlnticoRealizada em 20 de maio de 2014Ata da Assemblia Geral Extraordinria do Condomnio do Edifcio Atlntico,sito aAvJuarz Tvora,2997 -Tm-re,nesta Capital.Aos vinte (20) dias do ms de maio de 2014, s 20h00min em segunda e ltima convocao,onde presentes se encontravam no Salo de Festas do supracitado condomnio,oscondminos que assinaram a lista de presena,e/ ou representados por procurao,todos devidamenteconvocados na forma regimental para deliberarem sobre os seguintes assuntos: Prestao de Contas 2013; Previso Oramentria 2014; Problemas relacionados com o servio da cobertura; Assuntos diversos. A sndica Sra.Clephany Hielyda agradeceu a presena de todos e deu incio a Assemblia,a seguir a Sra.Snia do apto 804 fez a leitura da Ata da Assemblia do dia (12) doze de maro de (2014) dois mil e quatorze,a mesma foi aprovada.Os moradores cobraram para constar em Ata sobre a comisso formadapara conversar com o Construtor a respeito de vcios da construo,porm aps vrias tentativas o Construtor no compareceu para as reunies.A Sra.Clephany informou que j comprou conforme definido em Assemblia anterior o purificador de gua e o Split para portaria.A Sra.Clephany informou ue o en enheiro calculista da Vivo veio ao rdio e fez a vistoria e identificou ue os furos na fixa o da 'l g P 'l antena ocasionaram algumas infiltraes,foi feita uma impermeabilizao na casa de mquinas no intuito de sanar tais problemas,porm foram identificados outros trs problemas na manta,a Vivo atravs de seus engenheiros estudaro a possibilidade de subir uma coluna e fazer uma laje por cima ainda mais reforada para colocar o equipamento.A seguir a sndica informou que esta tendo problemas com o funcionrio Gilvan,e que houveram casos em que ele passou informaes prprias do condomnio aos tcnicos da Vivo prejudicando ao prdio,outras vezes notou o mesmo desinteressado em suas funes,e ainda quando houve a reunio com todos os funcionrios o Sr.Gilvan no aceitou as determinaes sugeridas pelo condomnio,e por vezes vem faltando ao trabalho sem comunicao prvia ou apresentao de atestados,o Sr.Gilvan reclamou ainda que durante anos fez horas extras no prdio enunca recebeu por elas.A SAP Administradora analisou suas folhas de ponto e at o ano de 2012 noconsta hora extra,j no ano de 2013 no houve livro de ponto.Foi sugerido coloca-lo de frias e depois demiti-lo;a Sra.Snia falou que o funcionrio realmente est insatisfeito,o Sr.Claudio falou que o funcionrio tem que produzir para receber salrio,se ele no quer trabalhar ele deve ser demitido;aps alguns questionamentos foi decidido por maioria que o Sr.Gilvan no ser demitido neste momento.A Sra.Clephany informou que todos os moradores esto responsveis por sujeiras no prdio e em baldes delixo quando ele faltar e no houver a recolhida dos lixos nos andares.Foi sugerido que a sndica apliquea? ) </li><li> 2. advertncia disciplinar ao Sr.Gilvan em razo de suas faltas no justificadas e por passar informaes do~ .'prdio.A Sra.Diana informou que o antigo funcionrio que foi demitido ingressou com processona justia cobrando danos morais ao prdio.A Sra.Snia perguntou onde est a madeira que estava guardada,a antiga Sndica informou que dois engenheiros disseram que toda madeira estava podre,e que jogou fora,o Sr.Magno disse que a madeira era 80% reaproveitada.A Sra.Diana se adiantou e foi no CREA para que um engenheiro credenciado venha ao prdio fazer o laudo para cobrar a Construtora os vcios da construo,ser agendado uma data e cobrando uma taxa pelo servio,aps a entregado do laudo ser encaminhada Notificao Extrajudicial dando prazo para solucionar todos os problemas,no sendo resolvidos todos estes documentos serviram como prova para cobrar os prejuzos na justia.Foi definido a respeito dos inadimplentes que:aps um ms do vencimento o departamento de cobrana da SAP entrar em contato com os moradores por telefone,no segundo ms ser enviada carta e no terceiro ms ser enviado para cartrio,o que foi aprovado por unanimidade.A Sra.Snia sugeriu no cobrar juros,porm a Sra.Clephany disse no concordar,em votao foi definido por maioria no dispensar juros nem multas.Item 01 da pauta - Prestao de Contas 2013, os conselheiros aps anlise detectaram inconsistncias em diversos meses,a qual a Sra.J ackeline Gonalves passou a ler o parecer emitidos pelos Conselheiros reprovando a Prestao de Contas,os condminos presentes acompanharam o parecer e por maioria reprovaram a Prestao de Contas do ano de 2013. A Sra.Diana informou ainda que o Sr.Walter foi notificado judicialmente,causando constrangimento,cobrando a ele todos os meses,e que o mesmo ganhou a ao o valor de R$ 2.267,56 (Dois mil duzentos e sessenta e sete reais e cinquenta e seis centavos) este valor tambm no consta na prestao de contas.Foi sugerido que a antiga Sndica de posse do parecer dos Conselheiros se rena com a antiga Administradora para cobrar explicaes sobre as inconsistncias detectadas.O Sr.Diego questionou ainda sobre o pagamento do sistema linear que em Assemblia foi defmido que no seria cobrado e que na Prestao de Contas consta l como pago.Item 02 da pauta - Aps anlise verificou-se que a Taxa de Condomnio suficiente para manter suas despesas para o exerccio de 2013, porm se faz necessrio cumprir a Lei e estipular o Fundo de Reserva, a Sra.Diana explicou a necessidade de se constituir um fundo de reserva de 5% para futuras despesas extraordinrias,foi ento aprovado a taxa de Fundo de reserva de 5% (cinco por cento) com votao de 13 a favor e 4 contra.Foi definido que em toda Assemblia ser apresentado o extrato da conta poupana.O Fundo de Reserva ser cobrado aps a Taxa Extra.Foi informado que a sndica conseguiu um preo melhor e que agora est pagando R$ 3,00 (Trs reais) o metro cbico do gs.Item 03 da pauta - Corn a palavra o Sr.Portela apto 1004 informou que foi at o CREA e que a empresa Limpercon no tem registro neste rgo,e que localizou a empresa na Junta Comercial e que o Sr.Edil no configura como scio da empresa,e ainda o mesmo deu apenas uma rubrica no Contrato.A antiga sndica lembrou aos moradores que na Assemblia vieram 3 representantes de empresas,e a nica pessoa que disse ter condies de executar o servio foi o Sr.Edil da Limpercon e que a proposta dele foi aceita por maioria,aSra.Clephany informou que na semana passado tentou por diversas vezes contato com o Sr.Edil e que omesmo no atendeu e nem retornou suas ligaes e sentiu da parte dele uma total falta de </li><li> 3. comprometimento,o Sr.Edil apareceu no Condomnio apenas na segunda pela manh,mas sempre com a mesma conversa,sem nada a resolver.O Sr.Marcelo sugeriu procurar junto a outros condomnios uma indicao para que uma nova empresa assuma o servio.O Sr.Claudio do apto 403 lembrou que tentou orientar quanto ao servio e oramento,porm ningum aceitou suas sugestes e que,na situao atual protelar e no fazer nada s piora o problema.Foi aceito por unanimidade a contratao de uma nova empresa,uma comisso apresentar trs oramentos ser enviado para cada apartamento onde constar os telefones de contato,e apresentar a quantidade de taxas extras necessrias.A seguir,como ningum mais quisesse fazer uso da palavra,a sndica Sra.Clephany deu por encerrado os trabalhos,e encerrou a reunio,do qual eu,Jackeline Gonalves contadora da SAP,lavrei a presente Ata,que vai assinadaainda,pela sndica,seguindo em anexa a relao de condminos participantes. Joo Pessoa,20 de Maio de 2014-. .P.Gonalves SecretriaClephany Hielyda de S.P.Meireles sndicaRua Candida Pessoa.31 - _CE 58010-460AFone:(a3) 3241- _cao oa-PB SERVIO IVOTARIAL E REGISTRAL WWW- - = </li><li> 4. 11 _ 7 1 WHnas_ JHVMINJ A m. .., i!. l.. L . .l 1 : LJ M _. n. _,. ... u..M_ W nxD u _Rox" @th/ MM t_. .iilllnlimwntsiyL , E / . FF . .iiu L n : in B m . m, : .x ._if_ u J . .a JA9m A em a N A m.o O m N S M s E A x R m E E nv D R _ u,o . A .c.A1 L n H mmmmmwmmmmmemmmmmmmm nl 1 1 1 1 1 1 2 2 2 2 2 2 3 3 3 3 3 3 4 z 11|.r I| l_.r </li><li> 5. 405406501502503504505506603 604605606701703702 ' 706801802803804805806901_L_ </li><li> 6. p _o . , va_ _. ... 1 a ,,p 'x ' sua: : 'lar-iii -I rh:I*.T I_L_' 7 2.11' 1'l_ A i b ,u' _ 'I p EWALLEL-i* 7 ~ p pjp p. = . 'l- .-'- I- . l ,_- _ A 4_ ,'a ' _g c Ml_ p " _.f' i W K _n v' ~ ' ' p , . su' ' z L "lui i L' J V^ , /'^ ,~ ' ., I' - ~ ~ ' *F '-' v '-'~. -yi ' * ' ' : v 3 A ~ 'l p n,4- ' a 1 ~ _ p . p u _ . . t. ; _p p p pp . . r_4. .- 1 , . u/' 4 p w . . - V. , ' e. , r. - ' o l . ~ , 'e . I' r ._ A;b' ' - ': ' ' ' W ' i _p _udt . _ ____ p_ o_ 41 -rioa e E " V,J-.'4_iq_ l" . p p p l n' p_.</li></ol>