Sessão Científica Bolsista Daniela Fiuza - 2014.2

  • Published on
    18-Aug-2015

  • View
    6

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ol><li> 1. SESSO CIENTFICA Bolsista: Daniela Fiuza Salvador, BA - 2014 </li><li> 2. Bolsista: Daniela Fiuza Salvador, BA - 2014 2011 </li><li> 3. INTRODUO Prevalncia da eroso dentria em crianas e adolescente crescente. Aumento no consumo de bebidas esportivas ALVIO DA SEDE DOS ATLETAS FONTE DE ENERGIA CAUSAM EROSO DENTRIA DEVIDO AO CONTEDO CIDO </li><li> 4. INTRODUO Segundo Jarvinen et al, o risco de eroso dental foi 4 vezes maior em pessoas que consumiram bebidas esportivas semanais do que os que no fizeram. A eroso dentria foi identificada em 40% dos atletas que consumiam bebidas esportivas. (MATHEW et al, 2002). Esses estudos relataram que a adio de clcio ou fosfato s bebibas esportivas inibiu a eroso dentria efetivamente. </li><li> 5. INTRODUO Foi usado a hidroxiapatita (HA) como fonte de clcio e fosfato : Desvantagens Solubilidade mais baixa do que outros tipos de compostos de fosfato de clcio Vantagens Alta biocompatibilidade e homogeneidade qumica com o esmalte X Nanotecnologia (nano-HA) efeito reparador sobre crie incipientes efeito de remineralizao foi superior a amina flor </li><li> 6. INTRODUO OBJETIVO Avaliar o potencial de eroso e desmineralizao dentria de uma bebida esportiva contendo nano- hidroxiapatita (nano-HA) como aditivo. </li><li> 7. MATERIAIS E MTODOS Preparao do experimento e o processo de ciclos de pH Soluo de controle Powerade (PA) puro 3 solues experimentais 0,05%; 0,10%; 0,25% de nano-HA </li><li> 8. Preparao do experimento e o processo de ciclos de pH 1. Dentes anteriores bovinos previamente congelados 2. Cada grupo foi composto de 12 amostras CORTADOS 3,5MM X 3,5MM DISCO DE DIAMANTE LIXAMENTO E POLIMENTO COM PAPIS DE CARBONETO DE SILCIO INCORPORAO EM RESINA EM UM CILINDRO APLICAO DE UM VERNIZ RESISTENTE SOBRE A SUPERFCIE DA AMOSTSRA EXCLUINDO A 2 MM X 2 MM NO CENTRO. SUBMETIDAS A UM CICLO DE PH QUE SIMULAVA AS MUDANAS DE PH DA CAVIDADE ORAL (REPETIDO DURANTE 7 DIAS) IMERSO NA SOLUO EXPERIMENTAL 3 VEZES AO DIA DURANTE 20 MIN COM UM INTERVALO DE 2H40MIN ENTRE OS TRATAMENTOS LAVADAS EM GUA DESTILADA E DEPOIS COLOCADAS EM UM RECIPIENTE CONTENTO SALIVA ARTIFICIAL MATERIAIS E MTODOS </li><li> 9. MATERIAIS E MTODOS Anlise 1. Anlise da nano-HA Difrao de raio-X (XRD) foi utilizada para medir o tamanho do cristal do nano-HA. 5 amostras de nano-HA foram medidos para obter padres de XRD. </li><li> 10. MATERIAIS E MTODOS Anlise 2. Caractersticas qumicas das solues O pH das solues foi medido a tempertura ambiente (3 vezes) A acidez titulvel foi calculado em pH 4.5, 5.5, 7.0 (3 vezes) As concentraoes de Ca e P em cada soluo experimental foram medidas usando um escpectmetro de plasma (2 vezes) Dsen: Saturao do Esmalte (PHREEQC program) Dsen = 1 : esmalte saturado Dsen &gt; 1 : supersaturao do esmalte Dsen &lt; 1 : subsaturao do esmalte </li><li> 11. MATERIAIS E MTODOS Anlise 3. Avaliao do potencial erosivo das amostras de esmalte. O potencial erosivo das amostras foi avaliado pela micro dureza de superfcie (SMH), profundidade de eroso, profundidade de camada demineralizada antes e depois dos ciclos de pH. Microscopia confocal de varredura a laser e Microscopia eletrnica de varredura com emisso de campo </li><li> 12. MATERIAIS E MTODOS Anlise estasttica 1. Shapiro-Wilk test: SMH, profunidade de eroso e de desmineralizao. 2. ANOVA one-way e teste de comparao mltipla TUKEY : diferenas mdias da SMH entre os grupos. 3. Teste-t pareado: diferenas mdias da SMH antes e aps o tratamento 4. Teste de Mann-Whitney no paramtrico e Kruskal Wallis: diferenas mdias da profundidade de eroso e de desmineralizao entre os grupos. </li><li> 13. RESULTADOS Tabela 1 - - - </li><li> 14. RESULTADOS Tabela 2 </li><li> 15. RESULTADOS SECO TRANSVERSAL DE IMAGENS DE MICROSCOPIA CONFOCAL DE VARREDURA A LASER DAS AMOSTRAS APS CADA TRATAMENTO Profundidade de eroso e profundidade da camada desmineralizada Figura 2 A: PA puro B: PA + 0,05% nano-HA C: PA + 0,10% nano-HA D: PA + 0,25% nano-HA </li><li> 16. RESULTADOS A: PA puro B: PA + 0,05% nano-HA C: PA + 0,10% nano-HA D: PA + 0,25% nano-HA DIGITALIZAO DE IMAGENS DE MICROSCOPIA ELETRNICA DAS SUPERFCIES DE AMOSTRAS APS CADA TRATAMENTO Alteraes morfolgicas de micro superfcie do dente </li><li> 17. DISCUSSO Potencial erosivo diminui a medida que a concentrao de nano-HA aumentou. No houve profundidade de eroso e nenhuma diminuio na SMH no grupo nano-HA 0,25% (Dsen = 3,70). No grupo nano-HA 0,05% (Dsen = 3,14) houve pequena profunidade eroso X Larsen et al. Barbour et al surgeriram que h um correlao linear entro o pH da soluo experimental e a dureza da amostra. atribuda a quantidade de soluo , o tempo de tratamento e interveno da soluo mineralizada </li><li> 18. DISCUSSO Compostos de clcio possuem baixa solubilidade. A nanotecnologia permitiu a liberao dos ons de HA em grandes quantidades. Estudos corroboram que o potencial erosivo foi efetivamente diminudo pela maior quantidade de ons de clcio e potssio libertados do nano-HA que tem solubilidade maior do que a macro HA. A nano-HA quimicamente homognea com o dente. </li><li> 19. DISCUSSO A acidez titulvel um indicador do potencial erosivo. nions PO e nions OH liberados da nano-HA se ligam aos ctions de H do PA Diminuio da acidez titulvel com o aumento da [ ]nano-HA. O cido ctrico amplamente usado como um cido comestvel em bebidas esportivas e tem forte associao com potencial erosivo. O aumento do pH e Dsen + liberao de CA, PO, OH, + a incapacidade de cido ctrico em quelar o clcio do esmalte... A eroso dentria foi eficazmente previnida </li><li> 20. DISCUSSO LIMITAES DO ESTUDO: 1. Os resultados da eroso e da profundidade da camada desmineralizada podem no ser reais, pois o nmero de amostras na MCVL era pequeno. 2. O aumento do pH e das concentraes de clcio pode afetar o sabor da bebida. </li><li> 21. CONCLUSO Em concluso, o potencial de eroso dentria foi efetivamente diminudo com o aumento da concentrao de nano-HA, e uma bebida esportiva contendo 0,25% de nano-HA poderia evitar a eroso dentria. </li><li> 22. REFERNCIAS </li><li> 23. REFERNCIAS </li><li> 24. REFERNCIAS </li></ol>