Jornal Cidade - Ano I - Nº 04

  • Published on
    26-Dec-2014

  • View
    2.333

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

http://www.jornalcidademg.com.br >Acesse e veja mais notcias Jornal Cidade - Ano I - N 04 - 31 de Maio de 2013 Principais notcias das cidades do centro-oeste mineiro. Notcias de Lagoa da Prata, Santo Antnio do Monte, Moema, Pedra do Indai e Japaraba.

Transcript

<ul><li> 1. Jornal da Cidade - 31 de maio de 2013 Entrevista com Carlo O presidente que colocou Lagoa da Prata na rota das principais exposies agropecurias de Minas. Pg. 9 Lagoa da Prata, 31 de maio de 2013 - Ano I - N 04 VEREADORA QUELLI DIZ TER SIDO VTIMA DE PERSEGUIO POLTICA Pg. 6 Obras de asfaltamento da estrada para Administrao Municipal pretende fazer emprstimos para pavimentar ruas Luz comearo em Lagoa da Prata O Governo de Lagoa da Prata estuda a possibilidade de fazer um emprstimo junto ao BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) na ordem de R$ 3 milhes para investir em obras de pavimentao. Existe a inteno de assumir mais valores para investir em outras demandas do governo. Pg. 3 Mrcio Amorim, secretrio municipal de Fazenda De acordo com o secretrio de Administrao da sub-prefeitura de Esteios, municpio de Luz, as obras de asfaltamento da rodovia MG-176 comearo em Lagoa da Prata. A construtora escolheu a cidade pelo fato de haver demanda suficiente de matria-prima (areia e pedras) para a realizao das obras. Pg. 3 Finalmente, asfaltamento deve sair do papel </li> <li> 2. 2 Jornal da Cidade - 31 maio de 2013 CARTA AO LEITOR Deve se gastar menos com o governo e mais com a populao Os prefeitos tm repercutido, como um mantra, que a queda da arrecadao municipal est inviabilizando a realizao de muitas obras e recursos. Em muitas cidades, percebe-se que realmente est entrando nos cofres pblicos menos dinheiro do que se esperava, porm, em quantidade maior do que o obtido no ano passado entre os meses de janeiro a abril. Para comear a mostrar servio, o Governo de Lagoa da Prata pretende assumir um emprstimo e realizar algumas obras. Inicialmente, a inteno era investir em pavimentao (mais FRASES do que justo), construo de uma nova prefeitura e aquisio de veculos e mquinas. O banco BDMG, de acordo com o secretrio de Fazenda Mrcio Amorim, colocou disposio uma linha de crdito de R$ 3 milhes. Mas a administrao estuda outras fontes de financiamento, j que a capacidade de pagamento da prefeitura permitiria contrair emprstimos na ordem de R$ 8 milhes. Preparem os bolsos. Existe a possibilidade de o governo reajustar o valor do IPTU, que est com valor defasado h anos. Se o governo municipal pretende assumir mais dvidas e aumentar Talvez, nos meus mais de 25 anos de vereador, a noite mais triste que eu estou presenciando. Durante toda a minha vida pblica uma das coisas que eu mais me preocupei foi com o parecer do nosso assessor jurdico - Vereador Natinho, que escutou o puxo de orelha do promotor nos demais vereadores. os impostos, deve tambm obrigatoriamente, que dar a sua contrapartida. O prefeito Paulo Teodoro criou cargos apadrinhados, com altos salrios, e inchou a folha de pagamento da prefeitura, que est batendo no limite permitido em lei. E tudo isso com o aval dos vereadores. Quando se esperava que a administrao municipal fosse ser mais enxuta, aconteceu exatamente o contrrio. Os tempos so outros. Os erros os mesmos. Se gasta muito com o governo. Somente com o pagamento de salrios de funcionrios em cargos comissionados (aqueles que o po- Juliano Rossi - Editor ltico indica o fulano do partido e raramente escolhe pessoas altamente qualificadas e tcnicas) e agentes polticos, a Administrao Municipal de Lagoa da Prata vai gastar quase R$ 3,4 milhes por ano. A boa notcia que o vice-prefeito Roberto do Tuim garantiu durante a campanha eleitoral, em entrevista gravada no Programa TV Cidade, que a proposta de governo foi elaborada dentro da realidade financeira do municpio. Nossas propostas cabem dentro do oramento do municpio. Nada fora da realidade. Vamos cumprir, disse o vice-prefeito. No me parece absolutamente razovel e justo que os senhores e as senhoras, simplesmente por que querem, ou baseados em critrios sovaquianos, retirados debaixo do sovado, sem base tcnica nenhuma, que acham que aquela determinada lei ou projeto de lei deve ser aprovado simplesmente porque querem, porque a vontade do vereador - Promotor Dr. Luis Augusto, criticando os vereadores que insistem em aprovar projetos inconstitucionais. </li> <li> 3. Jornal da Cidade - 31 de maio de 2013 Administrao Municipal pretende fazer emprstimo para investir em pavimantao de ruas O prefeito Paulo Teodoro reuniu-se na segunda-feira 20 com sete vereadores e exps a inteno de realizar um emprstimo de R$ 8 milhes de reais junto ao BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais). O motivo do encontro foi para negociar junto aos parlamentares a aprovao do emprstimo pela Cmara. Uma fonte ligada ao Poder Legislativo informou ao Jornal da Cidade que, se aprovado, o emprstimo de R$ 8 milhes ser aplicado da seguinte forma: R$ 3 milhes na construo de uma nova sede da prefeitura, R$ 3 milhes em pavimentao urbana e R$ 2 milhes na aquisio de veculos e mquinas. O secretrio de Fazenda, Mrcio Amorim, confirmou que os recursos devero ser aplicados nestas trs reas, mas negou que a diviso do dinheiro entre as obras j esteja definida. Se o emprstimo for aprovado pela Cmara, as ruas a serem pavimentadas sero indicadas pelos vereadores da base do governo, informao que foi confirmada pelos prprios parlamentares na sesso legislativa do dia 20 de maio. De acordo com o secretrio de Fazenda, o BDMG ofereceu ao Municpio a contratao de emprstimo, que poder 3 possibilidade, depende da aprovao da Cmara de Vereadores. Os encargos sero IPCA mais 8% de juros ao ano, explica. Mrcio Amorim, Secretrio Municipal de Fazenda ser pago em seis anos. A proposta do banco foi em funo dos dados contbeis e da capacidade de pagamento da Prefeitura. Estamos estudando essa MUDANA DE PLANOS Na ltima segunda-feira (27), o secretrio informou ao Jornal da Cidade, por telefone, que o BDMG disponibilizou ao Municpio R$ 3 milhes de crdito. A prioridade da Administrao Municipal assumir este emprstimo e investir em pavimentao de ruas. Mas existe a possibilidade de se buscar mais crdito com outras instituies financeiras para aplicar nas outras demandas do governo. </li> <li> 4. 4 Jornal da Cidade - 31 maio de 2013 INFORMATIVO PUBLICITRIO Concreto usinado garante mais qualidade e menos custo sua obra Empresa de Lagoa da Prata se destaca no setor de construo civil e oferece mais rapidez, qualidade e menos custo Ao contrrio do que a maioria pessoa pensa, o Concreto Usinado pode custar muito menos do que comprar o material e vir-lo na prpria obra. A qualidade do concreto bombevel superior ao do manipulado e pode ainda diminuir o desperdcio de material, reduzir a mo de obra necessria na concretagem, acelerar os prazos e diminuir os custos, ou seja, um melhor custo benefcio. Definindo-se como uma alternativa rpida e econmica, o concreto usinado um dos principais recursos utilizados em construes de lajes, vigas, pisos e contrapisos. Sua aplicao difere do concreto preparado na obra graas sua praticidade. Isso porque a matria-prima do concreto usinado produzida por uma empresa especializada e despejada diretamente no local desejado. A aplicao realizada por meio de caminhes betoneiras. Concreto usinado mais rpido e diminui mo de obra Alm disso, a obra fica mais bem feita, sem contar a segurana, j que o concreto possui uma qualidade melhor, diz o encarregado da obra Carlos Roberto Ramos. De acordo com o mestre de obras, usar o concreto usinado vivel em qualquer tipo de obra. Para bater uma laje de Localizada em Lagoa da Prata, a Pilares Concreto fornece vrios tipos de concreto nas suas mais variadas formas. E ainda utiliza aditivos capazes de melhorar o desempenho, a qualidade e a aplicao dos concretos propostos. A empresa vem ganhando o mercado e oferecendo solues viveis para todos os tipos de obras, das pequenas s grandes construes. Dentre as vrias obras j realizadas na cidade, a Pilares Concreto est presente na construo de uma moderna creche em Lagoa uma casa de 80 metros quadrados, por exemplo, fazendo o concreto na obra gastamos aproximadamente sete horas de prazo, utilizando de doze a quinze funcionrios. Com o concreto usi- Mestre de obras aprova a qualidade do concreto usinado da Prata. uma obra federal localizada entre os bairros Paradiso, Conjunto Habitacional Clara Luciano Henriques e Etelvina Miranda. O concreto usinado mais rpido e mais prtico. Avenida Vereador Milton Lacerda, 1551, Distrito Industrial. Telefones: (37) 3262-3613 e 3261-4392 nado, com apenas cinco pessoas conclumos o servio em duas horas de prazo, explica Ramos. Thompson Ramos, estudante de engenharia civil, o proprietrio da Construtora Moreira Ramos, que trabalha na obra de construo da creche. Ele ressalta a qualidade do concreto usinado. O concreto virado na obra no atinge o FCK desejado, que a resistncia do concreto. Por isso o concreto usinado ofere- ce uma segurana maior. O ideal seria que toda obra utilizasse o concreto usinado, explica. O empresrio diz que vantajoso utilizar o concreto usinado em todos os tipos de obras. As pessoas acham que serve s para laje. Mas serve para qualquer rea da obra, inclusive passeios. Sai mais barato. Em Arcos e Formiga j se usa o concreto usinado em quase todas as obras, finaliza. </li> <li> 5. Jornal da Cidade - 31 de maio de 2013 5 </li> <li> 6. Jornal da Cidade - 31 maio de 2013 Vereadora diz ter sido vtima de perseguio poltica do prefeito A vereadora Quelli Cssia Couto/MD no economizou adjetivos ao discursar sobre uma deciso do prefeito Paulo Csar Teodoro, que rejeitou o pedido dela de conceder gratuitamente o uso da Praa de Esportes s pessoas que esto se recuperando de cirurgia batritrica (reduo de estmago) feita pelo SUS. Fico triste com o prefeito. H tempos ele acabou jogando isso em cima de mim, por eu fazer parte da outra administrao. Ou fazer parte do grupo de pessoas que ele no aceita conviver. Vejo, mais do que nunca, que ele est muito despreparado para o cargo que ocupa, disse a parlamentar, que continuou: Ele segue a linha da perseguio. Segue a linha de fazer mau-caratismo com as pessoas. De mentir. Ele tem a capacidade de prejudicar uma pessoa porque talvez, por simplesmente vaidade dele, o pedido tenha sado da vereadora Quelli. Espero que com o tempo ele mude. Com o tempo ele cresa e amadurea. Espero que ele entenda que este o meu trabalho, criticou a parlamentar. ENTENDA O CASO A Cmara aprovou uma proposio de lei, de autoria do vereador Di-Gianne Nunes, que concede gratuidade no uso das dependncias da Praa de Esportes s pessoas com idade acima de 65 anos. A vereadora Quelli apresentou uma emenda a esta proposio que estenderia o benefcio s pessoas que esto se recuperando de cirurgia baritrica feita pelo SUS. De acordo com a vereadora, atualmente somente uma pessoa seria beneficiada no municpio. Outras trs esto na fila do SUS espera da cirurgia. O vereador Adriano Moreira apresentou uma proposio de lei semelhante do colega Di-Gianne, porm, concede a gratuidade na Praa de Esportes aos portadores deficincias mltiplas. O prefeito Paulo Teodoro vetou as duas proposies e a emenda da vereadora Quelli, sob a Ele segue a linha da perseguio, diz a vereadora Prefeito se explicou por meio da assessoria de comunicao argumentao do vcio de iniciativa (somente o Poder Executivo pode propor leis desta natureza, que, na viso do departamento jurdico da Prefeitura, criam despesas para o Municpio). O parecer jurdico da Cmara contrrio ao entendimento dos advogados da Prefeitura. Apenas os pedidos dos vereadores Adriano Moreira e Di-Gianne foram colocados em prtica pelo prefeito Paulo Teodoro, por meio de decreto, o que causou a revolta da vereadora Quelli e de outros parlamentares. O OUTRO LADO Por meio de nota, a Assessoria de Comunicao da Prefeitura informou que o Executivo entende que o benefcio no deve ser concedido a um grupo especfico, mas deve ser ampliado a todos os cidados. Diz a nota: No que se refere ao projeto que estende o benefcio da gratuidade s pessoas que se submeterem cirurgia baritrica pelo SUS, no h justificativa ou interesse pblico na escolha de apenas um grupo a ser beneficiado, j que o tratamento de vrias doenas demanda a prtica de atividade fsica, como o caso da diabetes e da hipertenso, por exemplo. No entanto, o desejo de estender o benefcio a todos no vivel no momento em razo da falta de estrutura fsica adequada e de profissionais capacitados para desenvolver o trabalho necessrio. Isso porque, na realidade, a Administrao recebeu como herana uma Praa de Esportes completamente abandonada e falida, informou a nota. 6 </li> <li> 7. Jornal da Cidade - 31 de maio de 2013 Aulas do Instituto Federal de Minas Gerais comeam em agosto FOTO AQUIVO PESSOAL Paulene Andrade, secretria Municipal de Educao As aulas do IFMG (Instituto Federal de Minas Gerais) comearo no dia 5 de agosto. Sero ofertados quatro cursos: Tcnico em Eletromecnica, Tcnico em Agroindstria/ Acar e lcool, Tcnico em Alimentos/ Laticnios e Tcnico em Moda/Costura Industrial/Design. Para cada curso, sero formadas duas turmas com trinta alunos cada. A seleo dos candidatos ser feita pelo prprio instituto, por meio do Sisu (Sistema de Seleo Unificada do Ministrio da Educao), sistema pelo qual as instituies pblicas de ensino oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Mdio (Enem). Os cursos tero durao de 1800 horas. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento realizou um levantamento da demanda de candidatos interessados em fazer um curso tcnico no municpio. Foram obtidas 1.500 inscries. Os secretrios municipais de Desenvolvimen- to e Educao, Antnio de Pdua Sampaio e Paulene Andrade, respectivamente, se reuniram com o reitor do IFMG, Cludio Vita, para decidirem sobre as questes finais da implantao dos cursos em Lagoa da Prata. O curso tcnico possibilita a formao do profissional num curto espao de tempo. Atende ao mercado de trabalho e d a chance ao jovem de futuramente ingressar na faculdade pagando os seus estudos, pois ele vai ter um trabalho, explica Andrade. 7 </li> <li> 8. 8 Jornal da Cidade - 31 maio de 2013 INFORMATIVO PARLAMENTAR ASSEMBLEIA INSTALA COMISSO DAS GUAS A Assembleia Legisl...</li></ul>