Jornal Cidade - Ano I - Nº 16

  • Published on
    23-Jun-2015

  • View
    2.927

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

http://www.jornalcidademg.com.br >Acesse e veja mais notcias Jornal Cidade - Ano I - N 16 - 23 de Novembro de 2013 Principais notcias das cidades do centro-oeste mineiro. Notcias de Lagoa da Prata, Santo Antnio do Monte, Moema, Pedra do Indai e Japaraba.

Transcript

<ul><li> 1. Jornal da Cidade - 23 de novembro de 2013Apoio CulturalLagoa da Prata, 23 de novembro de 2013 - Ano I - N 16VEREADORES PODEM PROIBIR CARROS DE PROPAGANDAProposta que tramita na Cmara prev a proibio da veiculao de propagandas comerciais em carros de som aos finais de semana e feriados. Pgina 4Xandinha medalha de ouro e recordista em campeonato Pgina 6Projeto de lei limita o horrio permitido para a prestao do servio de 8h s 18h, de segunda a sexta-feira. Aos sbados, at o meio-dia.</li></ul><p> 2. Jornal da Cidade - 23 de novembro de 20132 3. 3Jornal da Cidade - 23 de novembro de 2013Cmara Municipal de Lagoa da Prata sofre ao civil movida pelo Ministrio PblicoPromotor de Justia, Dr. Lus Augusto de Rezende Pena O Promotor de Justia, Dr. Lus Augusto de Rezende Pena, ajuizou ao civil pblica contra a Cmara Municipal de Lagoa da Prata, com pedido de declarao incidental de inconstitucionalida-de da lei que assegurou assessoria jurdica para ex-vereadores. Apesar de ter sido vetado o projeto de lei em questo, os vereadores, por maioria, derrubaram o veto emitido pelo PrefeitoMunicipal e, no ltimo dia 06 de novembro, a Cmara Municipal promulgou a Lei Complementar n. 134/2013, garantindo a prestao de assistncia jurdica a ex-vereadores. Na ao, o Promotor de Justia pede, liminarmente, que a Cmara Municipal se abstenha de prestar assistncia jurdica a ex-Vereadores, sob pena de multa de R$ 10 mil para cada procedimento, administrativo ou judicial, em que for assegurada a Assessoria Jurdica do Poder Legislativo Municipal em benefcio de ex-Vereadores. A ao tramita na 2 Vara da Comarca de Lagoa da Prata e est sob o cuidados do Juiz de Direito, Dr. Islon Csar Damasceno, que, ao despachar a petio inicial, ir apreciar a pretenso liminar formulada pelo MinistrioPblico.Rapaz armado assaltada casa lotrica no centro de Lagoa da PrataA lotrica fica Rua Modesto Gomes Uma casa lotrica de Lagoa da Prata foi vtima da ao de bandidos. Um rapaz armado assaltou um funcionrio e roubou o dinheiro que estava no caixa. Ele fugiu junto com um comparsa que o aguardava em uma motocicleta. Os dois no foram localizados. De acordo com informaes da Polcia Militar de Lagoa da Prata, o assalto aconteceu na quinta-feira (21), por volta das 14h. O funcionrio dalotrica contou que um rapaz de estatura baixa, magro, trajando cala jeans e com capacete na cabea entrou no local e de posse de uma arma de fogo anunciou o assalto. O funcionrio entregou o dinheiro que estava no caixa e em seguida o assaltante fugiu. Eles fugiram pela Rua Accio Mendes tomando rumo ignorado. A PM informou que toda a ao dos bandidos foi gravada pela cmara de segurana. A PolciaCivil est analisando as imagens para tentar identificar os dois elementos. ASSALTOS CONTINUAM No dia 08 de agosto de 2013 a Polcia Miliar prendeu trs elementos suspeitos de participarem de uma srie de assaltos a comrcio em Lagoa da Prata, no entanto, mesmo aps a priso dos elementos, os crimes continuaram a acontecer. 4. 4Jornal da Cidade - 23 de novembro de 2013CARTA AO LEITOR PARADISO/SANTA EUGNIA IIPropaganda em carros de som aos finais de semana e feriados poder ser proibida Est em discusso na Cmara Municipal de Lagoa da Prata um projeto de lei que visa regulamentar os dias e horrios permitidos para as propagandas comerciais feitas por meio de carros de som. O volume alto, na maioria das vezes excessivamente alto, gera desconforto e causa transtorno a muitas pessoas. uma publicidade invasiva que tira o direito do cidado de querer ou no receber a informao. O assunto, inclusive, j gerou inmeros protestos em redes sociais. Os vereadores Edmar Nunes/PDT e Adriano Moraes/PV apresentaram um projeto de lei que probe as propagandas aos domingos, feriados e aos sbados aps o meio-dia. As publicidades sonorizadas sero permitidas, caso seja aprovado o projeto, de segunda a sexta-feira, de 8h s 18h. O som no poder exceder a sessenta decibis. O projeto foi discutido na ltima reunio legislativa na segunda-feira (18/11), mas foi retirado da pauta devido a um artigo que gerou dupla interpretao. Alguns vereadores, dentre eles Di-Gianne Nunes/PPS, entenderam que o texto original poderia prejudicar os servios de utilidade pblica feitos pelos carros de propaganda, como as notas de falecimento, campanhas de vacinao, perda de animais etc. Um novo texto est sendo redigido e o projeto dever entrar na pauta legislativa nos prximos dias. O artigo 2 do projeto de lei prev que a explorao do servio ser permitida somente a profissionais autnomos e empresas previamente cadastradas nosetor de Tributao, Fiscalizao e Cadastro da Prefeitura de Lagoa da Prata. Um dos autores do projeto, o vereador Adriano Moraes disse que j existe uma lei municipal que regulamenta o volume mximo permitido, mas a lei no cumprida pelo municpio que, segundo ele, justificou que no dispe de aparelho para auferir os decibis. Ento temos que partir para outra linha de atuao, que delimitar horrio para que o povo tenha sossego, sua paz garantida, explica o vereador. O parlamentar Edmar Nunes, tambm autor do projeto, sugeriu que a populao ajude na fiscalizao ao denunciar os veculos com volume excessivamente alto. Este projeto para fins comerciais, no restringe as informaes de utilidade pblica. Foi sugestionado pelo Wender (empresrio do ramo) que os carros fossem plotados com o nome da empresa que est fazendo divulgao, para que a populao possa ver o veculo que est incomodando. Quando servio de utilidade pblica, no tem a restrio, defende. O OUTRO LADO O Jornal da Cidade ouviu, informalmente, dois profissionais que trabalham com propaganda em carros de som. Eles so favorveis s mudanas, desde que venham beneficiar os moradores da cidade. A ressalva ficou por conta do horrio permitido estabelecido no projeto e tambm sobre os veculos que circulam de forma irregular e sem adocumentao necessria. Wender Silva, radialista e empresrio do ramo de publicidade volante, diz que concorda com a mudana, no entanto, o horrio permitido deveria ser maior. Deveria ser de 8h s 19h, pois entre 18h e 19h interessantssimo para o cliente que quer atingir pessoas que esto saindo do trabalho. A fiscalizao de decibis dever ser feita rigorosamente, com todos. Penso tambm que deva ser feita uma fiscalizao em todas as empresas, para que ningum exera a profisso de forma ilegal. Eu pago meus impostos, gero emprego formal e tenho alvar de funcionamento. No seria justo que outros trabalhem no mesmo ramo sem gerar arrecadaes para nossa cidade, explicou Wender Silva. OPINIO No domingo retrasado, entre 8h e 8h30, tive a satisfao de ter sido acordado por um bendido anncio berrante de propaganda. No espao de trinta minutos, trs carros diferentes passaram em frente minha residncia. Pacincia! Falta bom senso e profissionalismo a muitas empresas que prestam este servio, que muito importante para o comrcio e para a comunidade. Falta bom senso porque, regulamentado ou no, uma propaganda invasiva que fere o direito de o cidado escolher se quer ou no receber aquela informao, daquela forma. E profissionalismo porque, ao abrir o volume das caixas de som ao mximo e incomodar oJuliano Rossi - Editor cidado, criam uma rejeio enorme empresa que contratou o servio. J li em redes sociais que determinada pessoa afirmou que jamais iria comprar um produto na empresa X porque se sentiu ofendida com a forma que a propaganda foi feita. Existem tambm excelentes profissionais, como o Carlinhos, filho do Adelmo Lopes, e o prprio Wender Silva, que zelam pela qualidade do som do veculo e tambm pelo volume. Mas ele faz parte de uma minoria. Quantas vezes voc, que trabalha no comrcio, j teve que interromper uma ligao com um cliente porque um carro de propaganda impedia a conversa? uma cena comum. E a administrao no conseguir criar mecanismos para fiscalizar os decibis, segundo o vereador Adriano Moraes, uma piada de mau gosto, n?! Um decibelmetro custa cerca de 90 reais. A prefeitura tem agentes fiscais e a Guarda Municipal, que podem fazer a fiscalizao com presteza. Quem quer sempre arruma um jeito. Quem no quer, inventa uma desculpa. A realidade essa. O projeto ser votado pelos vereadores nas prximas semanas e eles no podem se omitir. Esta uma questo de poluio sonora e qualidade de vida.Lagoa Colchoes Especializada(37)3261-1079JORNAL DACIDADE PROPRIEDADE CNPJ INSCRIO ESTADUAL INSCRIO MUNICIPALDIRETOR PRESIDENTECOMERCIALDIRETOR EXECUTIVODISTRIBUIOCHEFE DE REDAOFALE CONOSCOToldos,placas, sombreadores adesivos e banners toldosclassic@hotmail.comIMPRESSO 5. Jornal da Cidade - 23 de novembro de 2013 Jornal da Cidade - 23 de novembro de 2013Diretora do Colgio guia de Prata fala sobre as propostas e inovaes em 2014 O Colgio guia de Prata iniciou o ano 2013 em parceria com o UNO Internacional. Em janeiro os professores participaram de um Congreso, em Braslia, juntamente com mais sete pases ibero-americanos, que adotaram a tecnologia digital em parceria com a Apple para que seus alunos desenvolvam as habilidades e competncias exigidas no mundo atual. O Colgio guia de Prata sai frente com o perfil educacional do sculo XXI. O mundo mudou. O modo como as pessoas aprendem pesquisam e interagem totalmente diferente do que era h cinco anos. No podemos preparar nossas crianas para um mundo que ainda no foi inventado, mas podemos oferecer competncias para que elas participem da criao desse futuro.A proposta do UNO Internacional justamente integrar inteligncias mltiplas, diferentes estilos de aprendizagem e habilidades de pensamento crtico. Inspirar e educar alunos para que, guiados por valores fundamentais, tornem-se lderes bem sucedidos, competentes e responsveis. Para ter conhecimento sobre a participao do Colgio nesse Congresso, vamos entrevistar nossa diretora, Maria Ins.Quais foram os objetivos desse congresso no exterior?Maria Ins: O UNOi nos deu oportunidade de vivenciar as diferentes realidades educacionais existentes no mundo e perceber o que uma parceria bem estruturada capaz de fazer para interligar e direcionar mudanas.E que mudanas sero efetivadas no processo educacional a curto prazo?MI: Todos os programas e processos do UNO estoprtica escolar?Maria Ins, diretora do Colgio guia de Prata articulados para que os objetivos sejam alcanados. Para isso, so metas essenciais a participao, o bilinguismo e a cultura digital. A meta levar os alunos a abraarem os cinco pilares da educao definidos pela UNESCO, o que hoje um desafio para o educador do mundo inteiro. O UNO realmente inseriu esses pilares como a base de sua prtica pedaggica, sendo eles: saber, fazer, viver juntos, ser e transformar. E essa proposta que estamos levando aos pais de nossos alunos.E em longo prazo, o que vai mudar?MI: Nossa responsabilidade levar os alunos a terem competncia para resolver problemas, desempenhar papis com autonomia e responsabilizar-se pelos resultados alcanados, alm de saber comunicar-se, participar e trabalhar em equipe. Por isso investimos em eventos onde os alunos so empreendedores, planejam e realizam seus prprios projetos. Tambm iremos vivenciar realidades diferentes, atravs da troca de experincias e intercmbio de alunos para os pases que so parceiros do UNO.O que mudou naMI: O ambiente digital o suporte no qual esses valores e competncias se desdobram, transcendendo as aulas e as fronteiras das escolas e dos pases. Esse suporte est presente na escola e o cenrio onde as redes se sustentam. Com a tecnologia nas mos, tanto o professor quanto o aluno esto passando naturalmente para o processo de transformao a que o mundo est se submetendo atravs dos avanos e descobertas da cincia e da tecnologia. E no h ambiente mais apropriado para essa transformao do que o ambiente escolar.Onde o uso do meio digital reflete na prtica escolar?MI: O uso do meio digital implica numa clara ruptura com os padres antigos, onde o universo multimdia capta a ateno dos alunos e o insere nas atividades virtuais. Ele passa de espectador passivo do conhecimento para um sujeito ativo de um processo inovador, onde as atividadesINFORME PUBLICITRIOConectados nova realidade tecnolgica, alunos tero Ipads, tablets da Apple em sala de aula5 5de repente se concentram em instrumentos de desejo, de manuseio muitas vezes proibido na escola, como o caso dos aparelhos virtuais. Dessa forma, as atividades tornam-se mais atrativas, mais produtivas e significativas, j que esse ambiente l fora j fazia parte de seu universo. Cabe ao professor mediar as inovaes com as prticas tradicionais, responsveis pela continuidade do conhecimento atravs dos tempos.Houve resistncia s mudanas?MI: Todo processo novo gera resistncia. Mas justamente a que as foras encontradas em luta permanente fazem o equilbrio e a mudana. O que estamos buscando uma educao criativa na rea digital e j estamos vivenciando os resultados, mesmo porque no compramos um projeto de educao interativa com equipamentos virtuais. O projeto se baseia em dar subsdio para que o aluno possa vir a se tornar a mudana que ele deseja imprimir no mundo. 6. Jornal da Cidade - 23 de novembro de 2013Atleta Xandinha medalha de ouro e recordista em campeonato Mais uma vez a atleta lagopratense Alexandra Maria Pimenta da Silva, a Xandinha, elevou o nome de Lagoa da Prata em campeonatos disputados por ela e por sua equipe treinada pelo professor Abel Mendes. Xandinha participou do JAME (Jogos Abertos de Minas), campeonato que foi disputado na cidade de Ipatinga por atletas com mais de 16 anos de idade. Ela disputou as modalidades lanamento de dardos e arremesso de pesos. No arremesso de pesos, Xandinha alcanou a marca de 11 metros e 95 centmetros, quebrando o recorde estabelecido h 15 anos, que era de 11 metros e 82 centmetros. Ela tambm foi ouro no lanamento de dardos. O recorde atual era de 42 metros e Xandinha conseguiu a marca de 44 metros. O campeonato reuniu diversos atletas de vrios municpios de Minas Gerais que j contam com pro-jetos de atletismo. Nove atletas de Lagoa da Prata disputaram os jogos em Ipatinga. Durante todo o ano, os atletas que participam do Projeto Correndo para o Futuro, coordenado pelo professor Abel, participam de vrios campeonatos. Apesar dos resultados obtidos por vrios atletas at em competies internacionais, a equipe ainda enfrenta dificuldades estruturais e at logsticas, como falta de apoio para deslocamento a outras cidades e estados. Para a atleta Xandinha, um dos principais problemas ainda o local de treinamento. Ns precisamos principalmente de um local adequado e apropriado para treinar. Hoje ns usamos a Praa de Esportes, mas aqui pode ser muito perigoso. Crianas e adolescentes, que no so do projeto, mas que fazem parte do clube, frequentam aqui diariamente e isso podeocasionar algum tipo de acidente enquanto treinamos. Fico com medo at quando vou lanar algum dardo ou arremessar um peso. E se acerta alguma criana?, questiona a atleta. Xandinha e sua equipe agora se preparam para o Campeonato Mundial Gymnasiade, considerado a maior competio escolar do mundo. Os jogos so para atletas de 14 a 16 anos e s...</p>