Jornal Sprint Final16

  • Published on
    18-Dec-2014

  • View
    1.177

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Sprint Final Edio 16

Transcript

<ul><li> 1. ANO 2 - NMERO 16 Distribuio Gratuita www.jornalsprintfinal.com.br Cobertura Mulher 1 Cross Country - Parque da Guarda 0 mais resistente Festival de Corridas do CORPA nas corridas Desafio 600K NIKE O maior revezamento das Amricas Diga adeus ao SEDENTARISMO Dr. Fernando Lucchese </li> <li> 2. Novembro/2009 Correr melhora seu desempenho no trabalho. A misso do JSF incentivar uma publicao mensal da RL2 Mdia Ltda e despertar o interesse e a ini- ciativa das pessoas na prtica Direo regular da atividade fsica. Foi para isso que lanamos o Jor- Renato Loro Cezimbra nal SF, para difundir o vcio da endorfina, nica droga liberada Relacionamento e gratuita que faz bem, ela acessvel aps, aproximada- Lisiane Fagundes dos Reis Bandeira mente, 30 minutos de corrida. Neste sentido, para satisfa- Jornalista Responsvel zer nossos leitores, estamos buscando sempre a superao Carlos Adamatti Mtb 1516 na qualidade, seja impressa, editorial, projeto grfico e na Conselho busca de colaboradores para aprimorar o trabalho.Objetivo, disciplina, pacincia fora, Jos Haroldo Loureiro Gomes Arataca determinao, foco, planeja- Leonardo Ribas mento, resultados, avaliao, Elisabeth Vieira Odrzywolek perseverana, resistncia fsica Juvenal Chibiaque do Canto e emocional, e superao so Ana Beatriz Gorini da Veiga os atributos de um praticante Joo Gabbardo dos Reis de corrida, seja 5 ou 100 Km. Qual gestor de empresa no quer isso para sua equipe? Ento faa como a maioria Colaboradores dos Presidentes das 500 Maiores e Melhores Empresas do Brasil, vamos correr! Para iniciar pode at ser uma caminhada, s no pode ficar parado. Leonardo Ribas, Renato Cezimbra Dr. Fernando Lucchese, Filipe Campelo Xavier, Eduardo Campelo, Miriam Caldasso Errata Edio 15 - outubro de 2009: O relato da Meia Maratona do Joo Gabbardo dos Reis Rio de Janeiro foi de Beatriz Vouthier. Colaboradores de Fotografia Raquel Hoefel Christian Hiller Portal das Fotos Reviso Enelise Arnold Impresso: Correio do Povo. anuncie@sprintfinal.com.br Porto Alegre: (51) 4063-9895 So Paulo: (11) 4063-2234 Rua Felizardo Furtado, 515/902 - Petrpolis Porto Alegre/RS Os artigos assinados no correspondem necessaria- mente opinio do Jornal e so de inteira responsa- bilidade de seus autores. Patrocinadores, anunciantes e apoiadores: 1.WIN SPORTS 16. AMORE 2. RECOMA 17. BAS ADVENTURE 3. SOGIPA 18. LIVRO YOGA PARA CORREDOR 4. WEB RUN 19. GRINGO DO CHOPP 5. SAFE RUNNERS 20. ACADEMIA MIRIAM CALDASSO 6. MARIANA MARTINEZ 21. INSTITUTO ECKART 7. VITTA CORPUS 22. EDITORA ARTMED 8. CLNICA DR. LUCHESE 23. PMPA 9. ACADEMIA 10 24. PR AYRES 10. PERCORRER GRUPO DE CORRIDA 25. ESCRITORIO CONTABIL RSA 11. VELOZ ASSESSORIA ESPORTIVA 26 RUNNING SHOW 12. PONTO ESPORTE 27 ARMAZM DO ESPORTE 13. REVISTA CONTRA RELGIO 28 PORTAL DAS FOTOS 14. EDITORA CONE 29 MERCURE GRAND HOTEL 15. ASCORGRA 02 </li> <li> 3. Novembro/2009 COLABORADORES Raquel Hoefel colaborou na edio 15 quando reali- Christian Hiller colaborou com o JSF nesta zou a cobertura do evento correndo 24h. Educadora edio e na anterior. Fotgrafo desde 1995, vem fsica graduada pela UFRGS. Fotgafa profissional somando a sua carreira no s a prtica e experin- h 1 ano e meio. Foi fotgrafa freelancer nos Jogos cia de anos na profisso, Panamericanos no Rio de Janeiro em 2007. Tambm mas tambm uma slida formao tcnica, emba- foi fotgrafa oficial do IronMan Brasil 2009, k42 entre sada por cursos, workshops, palestras e feiras do outros eventos esportivos. Possui publicaes em sites setor fotogrfico, destas, cita-se como destaque o especializados de esportes, na revista Contra Relgio, ttulo de tecnlogo em fotografia, conferido pela O2 e GO Outside. Servios: Universidade Luterana do Brasil. Criao, produo e edio para revistas, jornais, in- Servios: ternet ou empresas. Produo de textos e fotografias. Atualmente, atua na rea de fotografia social, still Cobertura fotogrfica de eventos esportivos e de qua- e espetculo. Na fotografia social, vem inovando o lidade de vida. Cobertura fotogrfica e jornalstica de conceito, por aplicar o estilo documental nas fotos, viagens de ecoturismo, turismo de aventura, expedi- tornando-as casuais, transmitindo a emoo do es e eventos esportivos em geral. instante. 03 </li> <li> 4. Novembro/2009 Filipe Campelo Xavier da Costa Professor Dr. em Marketing e Design Escola de Design Unisinos filipecampelo@sprintfinal.com.br Como desafiar o mercado Outubro um ms histri- svel voltar a confiar na marca. co para o mercado de corrida no Para isso, um megaevento: pas. Isso no devido ao aumen- competio de revezamento entre to substancial de atletas partici- 20 equipes selecionadas por crit- pando de competies ou venda rio de desempenho. 12 corredores de material esportivo. Mas por por equipe que deveriam cumprir uma competio, projetada de for- os 600km em 3 dias entre o Par- ma nica, que mobilizou corredo- que do Ibirapuera em So Paulo e res amadores de alto desempenho a Praia de Ipanema no Rio de Ja- desde julho desse ano a partir do neiro. Todo equipamento foi for- lanamento do desafio de correr necido pela empresa, desde tnis, 600km entre as duas maiores ci- cales, camisetas e o sistema de dades brasileiras. controle Nike Plus, que monitora- va o desempenho dos corredores. A Nike, empresa que surgiu Todo tipo de piso estava presente a partir da corrida de competio (asfalto, terra, areia, trilha, gua, e tem no seu DNA essa modali- barro), servindo como o mais au- dade esportiva (um dos fundado- tntico test-drive dos produtos res, Phil Knight, era corredor), da companhia. Entretanto, mais buscava recuperar seu prestgio do que a prpria competio, os entre corredores e, mais do que preparativos, as seletivas e o bur- isso, a liderana da marca entre os burinho gerado trouxe um ganho participantes do esporte, em um expressivo para a imagem da mar- mercado dominado pela Mizuno ca dentro do mercado de running. (fabricado pela Alpargatas) e pela A competio representava, como Asics. Sua imagem foi arranhada um todo, um objeto de consumo com uma srie de problemas que para corredores de alto padro, alguns modelos, no desenvolvi- motivados por desafios cada vez dos para a prtica de corrida, pro- maiores que, para poder participar vocaram entre os corredores no desse desafio, deveriam alcanar incio dessa dcada. A marca, pre- resultados muito expressivos para sente em um nmero expressivo estar entre as equipes participan- de esportes e extremamente repre- tes. sentativa no mais popular deles (futebol), no conseguia atingir Resultado: grande reper- o topo do mercado, mesmo tendo cusso na mdia, melhoria da recursos para desenvolver produ- imagem da marca e alto ndice de tos de alta tecnologia e grandes lembrana, etc. A pergunta que investimentos em marketing. Era pode ficar : todo esse esforo necessrio recuperar a imagem de pode levar a Nike a reconquista performance superior, no apenas do mercado? cedo para dizer se investindo em atletas de elite ou no patrocnio de assessorias es- uma nica ao, por maior que ela seja, possa reverter a ordem de um O Jornal do Running portivas (a maior do pas Run mercado. Entretanto, inegvel ALIE SUA MARCA for Life de Mrio Srgio Silva, que a Nike procura dar um sprint tem a Nike como sponsor), mas no final nessa corrida por nossos co- genuno reconhecimento daqueles raes, mentes e bolsos. corredores amadores que era pos- AO ESPORTE QUE por R$ 400,00 PROMOO KAYANO 15 ou Nimbus 11 MAIS CRESCE. contate: Contate sua agncia ou solicite informaes: promocoes@sprintfinal.com.br comercial@sprintfinal.com.br 51-4063.9895 04 </li> <li> 5. Dicas do Dr. Fernando Luccchese O SEDENTARISMO prejudicial sade!!! Tudo mudou? Tudo, tudo mudou... EXCETO o nosso cor- po. Ao deixar de realizar tarefas fsicas, o corpo humano perde parte de suas funes, estando su- jeito a uma srie de alteraes em todos os seus sitemas. O acmulo de gordura provocado pela inatividade no se mani- festa apenas esteticamente. A deposio das gorduras tambm ocorre no interior de nossos vasos e artrias. Essa deposio de gordura dificulta a passagem do sangue por entre as artrias, de maneira semelhante ao entupimento do en- canamento e esgoto de uma casa. Se o fluxo sanguneo for dificultado ou interrompido em algum ponto da nossa rede arterial, provvel que o rgo suprido por essa artria obstruda seja prejudicado, j que atravs do san- gue que recebemos oxignio e nutrientes. A interrupo do sangue nas artrias do crebro provoca o der- rame e no msculo cardaco, o infarto. Os vasos sanguneos responsveis pela oferta de oxignio e nu- trientes ao msculo cardaco so chamados de artrias coron- rias. A ob...</li></ul>